Primera guerra carlina (1833-1840) -7 pàg.-                                                              www.portell.tk


 
  Primera Guerra Carlista o "guerra dels 7 anys"1833   1834   1835   1836   1837   1838   1839-1840

ANY

REFERÈNCIA BIBLIOGRÀFICA

 

 1836

Gener, 2. Encara que no parle de cap fet ocorregut a les nostres terres, ho posem perquè ens dóna una idea de les forces que tenia el carlí vilafranquí "el Serrador":

<<O ECCO, N.º 52. Quinta feira, 28 de Janeiro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES FRANCEZES. [...] Bayona, 2. - As cartas de Madrid annuncião a chegada a esta capital da mulher do Governador de Cuenca (Castella Nova), fugindo á approximação da banda de Serrador, que, forte de 4.500 Infantes, e 400 cavallos, ameaça a cidade. A Guardia Nacional de Siguenza, dizem, foi desarmada por ter proferido o grito de "Viva D. Carlos" na occasião de se apresentar nas immediações da mesma cidade a referida banda de Serrador. (Journal des Débats)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.52, p.834. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Gener, 6. Llegim en el diari "O Ecco" notícicies sobre una interessant reunió en Vilafranca de José Miralles, "el Serrador", José Joaquín Llorens Bayer (del que es parla també una mica més amunt), etc.. En el mateix diari es parla d'un combat una mica més al sud, en Toga i Llucena, el 23 de gener.

<<O ECCO, N.º 55. Segunda feira, 8 de Fevereiro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] D'um povo do partido de Teruel escrevem com data de 6 de Janeiro o seguinte: "Hoje passou por aquí o chefe Miralles (el Serrador): segundo dizem todos, chegou da Navarra á dita facção um chefe superior de alta cathegoria, commissionado pelo Pertendente; apresentou-se em Villa Franca (Valencia), e foi recebido pelo chefe faccioso, e todos os seus subditos, dispersando-lhe as maiores considerações, celebrando a sua chegada como um triunfo, e fazendo-lhe grandes obsequios. Ao passar por aqui o dito Serrador levava á sua direita um individuo muito bem vestido á paisana, a quem contemplava com muita attenção e affecto, e que pela sua figura mostra ser sujeito de fina educação e principios, principalmente pelo seu modo de proceder: este, segundo refere um que o conheçeo, é o assás nomeado e rebelde ex-Alcalde e ex-Commandante de Villareal (Vila-real), famoso por ter sido o que levantou o grito no anno de 1833 no Reino de Valencia, um dos primeiros ... ¿torffeos? da facção de Morella, para a qual arrastou tantos incantos, o prestigio de la Plana, e pertencente a uma das familias mais principaes e ricas daquelle paiz. Logo que se desfez a mencionada facção, illudindo á vigilancia da Policia Hespanhola, emigrou para a França, e outros paizes estrangeiros; depois illudindo a estrangeira, apresentou-se em  Navarra ao Pertendente, e por ordem deste, quando todos o julgavão victima do seu fanatismo, apparoce no mesmo paiz, onde deo o grito da rebelião: zomba da Policia e vigilancia, e vem para onde tanto damno póde fazer á Causa da Liberdade. Não é um Serrador, nem um Cabrera, nem outro qualquer chefe, que vai dirigir a facção Valenciana, é um furibundo Carlista, bem conhecido pelo seu talento providente, pelo grande séquito que tem, e predominação no paiz, e, o que é mais, pelo infatuados e cegos que estão por elle os Valencianos, pois é forçoso confessar, que, se elle é abominavel pela sua opinião, e pelos seus feitos, não póde sê-lo pelo seu nascimento, nem pelas suas circunstancias, e que unido com Serrador, tão astuto e pratico do terreno, não ha dúbida de que dárão ordens terriveis contra os desertores, ladrões, e insubordinados, a fin de que vá mudando de aspecto a facção: os dois se tem jurado mutua amisade, e a maior actividade. Parece que, de concerto entre ambos, já se tem dado ordens para o progresso da nescia Causa, que tão tenazmente defendem. O Pertendente envia da Navarra os seus agentes, e chefes ás facções mais longinquas; elles passão as nossas linhas, atravessão os povos, illuden a vigilancia, e aquelles que mais influencia tem no paiz, se apresentão ufanos nas suas antigas facções. Para que servem tantos Empregados? Para nada. Melhor fôra que houvessem poucos e bons, e que trabalhassem mais". (Mensajero Aragonés) -diari->>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.55, pp.885-886. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Gener, 13. Sobre un fet a Nules. Ens queda una mica lluny però ací ho deixem perquè trobem també notícia d'una acció del mateix general de tres dies després.

<<O ECCO, N.º 52. Quinta feira, 28 de Janeiro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] De Valencia em 16 do corriente dizem: - As facções d'esta Provincia, dispersadas pelo intrepido Palarea, dividirão-se em pequenos pelotões, e saqueão as povoações, que por falta de precaução ou de forças não podem resistir-lhes. No dia 13 do corrente entrou um dos ditos pelotões, commandado pelo Cabecilla Pelejana, no povo de Nules; comettendo varios excessos, e roubando todas as cazas dos ... ¿adictos? ao sistema reinante, levando-lhes algumas pessoas prisioneiras, porén sendo encontrado pelas columnas de Aguirre e Rubio, foi por ellas dispersado. (Espanhol.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.52, pp.837-838. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Gener, 16. Després de donar interessants dades sobre l'exèrcit de D. Carlos en Catalunya, parla d'una victòria isabelina per aquesta província.

<<O ECCO, N.º 51. Segunda feira, 25 de Janeiro. 1836.

NOTICIAS DO PAQUETE INGLEZ. [...] Exercito de D. Carlos na Catalunha. [...] Resumo da força das Divisões etc. - Exercito de Operações dos Pyreneos Orientales 2,654 Infantes, e 136 Cavallos. - Divisão de Gerona 3,969 Infantes, e 83 Cavalos. - Divisão de Lerida 3,534 Infantes, e 121 Cavalos. - Divisão de Manresa 4,214 Infantes, e 55 cavallos. - Divisão de Tarragona 4,209 Infantes. Differentes Bandas de Guerrilhas volantes 3,783 homens. - Total 22,363 homens, e 395 Cavallos.

A respeito do Baixo Aragão e Valencia, temos finalmente reconhecido pelo General da Rainha Palarea, o importante facto de que na sua Victoria de 16 se lhe oppozerão 7$ (7.000) Carlistas! Presentemente nada direi daquella victoria; sem dúvida tereis sabido de todos os outros vossos correspondentes "que a victoria de Palarea foi pelo contrario". Espero que, em poucos dias, poderei levar á vossa presença alguns papeis importantes, incluindo o boletim official Carlista, desta acção! Com tudo dentro de pouco tempo se verá a força de cada um dos partidos. Dizem os Christinos, que Palarea com toda a sua força determina impedir, que a expedição Carlista penetre na Cotalunha (Catalunya). Nous verrons! (veremos)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.51, p.816. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Gener, 20 aprox. Sobre les intencions de Cabrera en terres valencianes, i reforça les xifres de la força dels carlins a Catalunya:

<<O ECCO, N.º 56. Quinta feira, 11 de Fevereiro. 1836.

NOTICIAS DO PAQUETE INGLEZ. [...] O Conde de Villemur, o novo Capitão General da Catalunha, partirá da navarra, pouco mais ou menos, a 20 do corrente, á frente de 6$ (6.000) infantes, e 200 cavallos. Elle irá acompanhado de Guergué, e levará por Chefe do Estado Maior um Tenente Coronel Francez de grandes conhecimentos militares. Dizem que já ha 30$ (30.000) Catalães em armas. Esperemos, pois, e vejamos o effeito produzido pela entrada do novo commandante em chefe, e do seu excellente... ¿reforço?. Qual será agora a força, que a Rainha tem para oppor aos Carlistas neste Principado? Na minha opinião tem um pequeno numero de soldados do exercito regular, e uma massa de Urbanos, só propria para assassinar os inermes prisioneiros, e que não tem a coragem de encarar o inimigo. [...] no Basso Aragão cresce diariamente o numero dos Carlistas commandados por Quilez, não obstante as contínuas derrotas deste chefe publicadas na Gaceta de Madrid. Cabrera percorre Valencia, e tem em parte conseguido effeituar um levantamento nesta provincia. [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.56, p.905. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Gener, 23. Llegim en una edició especial del diari "O Ecco", un estat general de la guerra, en versió dels "Cristins".

<<O ECCO, N.º 55 Extraordinario. Terça feira, 9 de Fevereiro. 1836.

NOTICIAS DO PAQUETE INGLEZ. Londres 25 de Janeiro. - Extracto da correspondencia de París de 23 do corriente: [...] Cartas de Saragoça dizem, que o Sacerdote chamado "Padre Escorihuela", com 300 infantes, e Garzon com 200 cavallos, havião entrado, em 29 do passado, em Chiclana, que havia sido abandonada pela sua guarnição, e Guarda Nacional em a noute precedente. No dia seguinte, os Carlistas partirão para Escatron depois de terem destruido as fortificações. Barbastro está ameaçada por 4,500 homens. Os Carlistas Catalães tambem saírão de Benavarre para a atacarem. Quilez, Cabrera, e Serrador partírão de Maranchón (poble de Guadalajara), ignorando-se a sua direcção. A columna de Nogueras voltou; e assevera-se que 2 Batalhões do Regimento de Cordova partírão precipitadamente para Alcaniz (Alcañiz). Refere-se, que todos os prisioneiros de Sagunto (Valencia) se evadirão, e que grande numero de recrutas tem desertado do deposito de Teruel.[...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.55 Extra., p.889. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Febrer, 1. Llegim en la publicació d'aquesta data els problemes que hi ha de funcionament del correu:

<<O ECCO, N.º 53. Segunda feira, 1º de Fevereiro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Vimos com estranheza uma ordem real declarando expedita a estrada dessa corte para Barcelona, para que a correspondencia se despache por ella e pela de Valencia, quando nunca esteve tão impedida a passagem como agora. Os dous ultimos corteios, que saírão desta cidade para Barcelona estiverão detidos 4 dias em Cervera, porque uma facção bastante numerosa se havia postado a legua e meia da ultima cidade, á direita, e esquerda da estrada, sem que a podessem atacar, por falta de tropas naquelle ponto. Os correios ordinarios, que dantes ião com alguma confiança, agora tem deixado de viajar, porque tem sido roubados todas as vezes, que tem passado, e os tem ameaçado com a morte se alí voltarem. Os correios tem de vir escoltados, e apezar disso as cartas, que chegavão escriptas ao dia anterior, agora as recebemos com 7, 8, ou mais dias de atraso. [...] (A respeito das forças Christinas no Aragão, do commando do Coronel Ba-Halen (Van Halen), diz o seguinte:) - Porém por desgraça estas forças são poucas, e enfermas. Seus Chefes as tem tido no maior abandono; os soldados não comèrão rancho em todo o Outono; davão-lhes em dinheiro os seus vencimentos, e elles, como bons Valencianos, o gastavão na compra de figos, cravo, e salsa, donde lhes... ¿produjo? sarna geral [sembla que el clau, per ex., s'usava per curar la sarna]; com tudo são tão valentes e decididos, que apezar da enfermidade fazem o serviço de campanha, e pode dizer-se que tem tantos desejos de bater-se como de curar-se. Oxalá fossem como elles todos os officiaes, mas por desgraça ha não poucos, a quem nem a sarna, nem a honra os tira daquelle estado de apathia, e inercia, a que os reduzem a ociosidade, a miseria e os annos.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.53, pp.853-854. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Febrer, 5. Notícies del sud d'Aragó. S'afusellen dos alcaldes, un és el de Torrecilla de Alcañiz; el segon sembla que era el de Valdealgorfa.

<<O ECCO, N.º 58. Quinta feira, 18 de Fevereiro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Uma outra carta de Alcaniz, escripta em 7 do corrente, diz, relativamente a Cabrera, que este com 1.500 infantes e 100 cavallos, caíra, na manhã de 5, em o caminho de Torrecilla de Castelserás (Torrecilla de Alcañiz) (Baixo Aragão), sobre a retaguarda do Batalhão d'El-Rei [...]. Diz mais que Cabrera mandára fuzilar em Fresneda a dous Alcaldes, e levára prezo o corpo Municipal de Torrecilla.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.58, p.942. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Febrer, 6. Urcelay ens fa una cronologia de les guerres carlines:

<<6 de Febrero.- Cabrera ordena el fusilamiento de los alcaldes de Torrecilla y Valdealgorfa por facilitar informes a las autoridades liberales.>> (pàg.22)

[URCELAY ALONSO, Javier (2004): El Maestrazgo Carlista. Una visita a los escenarios y lugares de las Guerras Carlistas del siglo XIX. Editorial Antinea. 3ª Edición. Vinaròs.]


 1836

Febrer, 11. Es publica una breu nota sobre moviments de tropes:

<<O ECCO, N.º 56. Quinta feira, 11 de Fevereiro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Segundo escrevem do Baixo Aragão o rebelde Torner passou o Ebro, com toda a sua gente e equipagens, com direcção ao interior da Catalunha. (Rev. Mens.) [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.56, p.907. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Febrer, 13. Moviments pel Baix Aragó.

<<O ECCO, N.º 62. Quinta feira, 3 de Março. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Idem 27 - Segundo uma carta de Teruel (Baixo Aragão), datada de 16 do corriente, as facções de Cabrera e Torner, em numero de 2$ (2.000) infantes e 100 cavallos, achavão-se reunidas em Camarilhas (Camarillas), e tinhão pedido rações em Pobo (El Pobo). Naquella Cidade havião quasi 1$ (1.000) homens, e se esperava no dia seguinte a columna do Coronel Villapadierna; porém no entanto os rebeldes estão em repouso, augmentão-se e fazem o que querem. No dia anterior tinha chegado o Correio de Valencia, o qual foi roubado pelos indultados da Puebla, por cujo motivo forão perseguidos pela Authoridade, e uns fugíão, e alguns forão presos. - Consta que os facciosos do Baixo Aragão tem establelecido partidas de 60 Aduaneros, que envião a varios povos, com o fin de impedir as communicações, e surprender os comestiveis para as nossas tropas. No dia 13 do corrente uma partida de Torner entrou em Calaceite, e exigio 30$ (30.000) reales, e 3$ (3.000) rações. No dia seguinte entrou outra de Forcadell en numero de 200, e exigio 8$ (8.000) reales, e igual numero de rações, sem duvida tudo para Torner, que se acha entre Horta, e Pracdecontes (Prat de Comte) (Do Mensagero Aragonés)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.62, p.1023. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Febrer, 13. Una carta des de Castelló dóna notícia d'un afusellament a Tortosa:

<<O ECCO, N.º 61. Segunda feira, 29 de Fevereiro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Em uma carta de Castellon de la Plana que temos á vista, escrita a 15 do corrente, se diz, com referencia a outra de Vinaroz de 13, que naquelle dia ía ser fuzilado o Governador do Castello de Tortosa (Catalunha) e dous mais, por se haver descuberto que querião entregar o Forte á facção de Cabrera, que estava com a sua gente collocada em as Roquetas (arrabales da Cidade) [Roquetes és segregada de Tortosa el 22 de març de 1850]. (Rev. Mens.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.61, p.996. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Febrer, 15. La notícia sobre la sentència de mort de la mare de Cabrera i diverses notícies relacionades. Cal tenir en compte que són publicacions del moment i, per tant, amb informacions que cal contrastar. Sembla que va ser el general Agustín Nogueras qui ho va ordenar (per l'afusellament dels alcaldes de Torrecilla i Valdealgorfa), amb el vist-i-plau de Francisco Espoz y Mina, Capità General de Navarra i Catalunya, va haver de dimitir el 13 d'abril. I el mateix any va morir mentre preparava la seva fugida a França. Ho llegim a les entrades de la Viquipèdia d'aquests tres personatges, especialment a la de Ramon Cabrera.

<<O ECCO, N.º 63. Segunda feira, 7 de Março. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Saragoça 23 de Fevereiro. - O Brigadeiro Commandante Geral do Baixo Aragão, D. Agostin Nogueras, transmitte de Torrevelilla, com data de 20, a communicação do Governador de Tortosa de 15, da qual extractamos o seguinte: "Em sua conformidade (das ordens de Mina) ámanhã ás 10 horas será fuzilada a Mãi de Cabrera (!!!!!!), e prezas as 2 Irmãs esta noute, não obstante serem cazadas com dous Guardas Nacionaes desta, assegurando a V. S., que capturarei os parentes mais proximos dos demais chefes, e intitulados Officiaes, a fim de... ¿enfrear? os barbaros, obstando aos seus excessos" (Raro exemplo de valor, civilisação, e philantropia!) (Revista mensagero.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.63, p.1042. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


<<O ECCO, N.º 64. Quinta feira, 10 de Março. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Eis-aqui como se explica o 'Aragonez' ácerca do feroz fuzilamento da Mâi do rebelde Cabrera: - "Com este motivo não podemos deixar de dizer o desagradavel effeito, que tem causado na maior parte da gente o atroz fuzilamento da Mãi do faccioso Cabrera; porque feitos desta classe em vez de honrarem a quem os commette, o desacreditão sem conseguir outro resultado, que o de azedarem os animos cada vez mais. Certamente era justo e mui justo, que houvesse refens (rehenes), para seguirem a mesma sorte, que os desgraçados que caissem nas mãos dos sanguinarios facciosos, ¿porém não haveria na terra baixa outros sujeitos mais dignos, e mais a proposito para terem esta desgraçada sorte do que uma anciã, e debil mulher? ... Isto deu origem a murmurações sobre o Chefe, motor desta execução, pela cuasualidade (pois não podemos attribui-lo a outra causa) de não termos visto, que elle tenia feito grandes progressos na destruição da facçao, nos quatro, ou cinco mezes que tem estado no tal paiz desde que elle voltou." (Abeja)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.64, p.1063. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


<<O ECCO, N.º 65. Segunda feira, 14 de Março. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. Madrid 2 de Março. - Sobre as represalias tomadas com a Mâi de Cabrera. - A victima ja está immolada, e nem o accento da ultrajada justiça volverá a espada contra os seus verdugos, nem os ais da espavorida humanidade forão surgir da.. ¿campa? essa que alí se offrece como uma testemunha, um accusador, dos que se dizem defensores da mais justa das causas. Nenhum fructo, pois, colheremos das nossas palavras ... , esa idéa, que repetidas vezes se apodéra de nós ao escrever, suspende a nossa pensa, fazendo-nos por instantes desistir do nobre empenho a que nos dedicamos de defender a liberdade.. ¿com a..?, e denunciar os crimes á execração dos nossos semelhantes, qualquier que seja o caracter politico dos seus perpetradores; sem embargo, logo nos presta nosso vigor uma consideração mais forta, a saber: que os nossos escriptos, defeituosos sempre, talvez agora desatendidos, servirão como de protesto ás Nações longinquas, e ás idades futuras, de que, se na Hespanha ha gente tão fanatica, ou ignorante, que considera os supplicios e a carniceria como elementos inseparaveis da repeneração de um paiz, ha tambem homens, que.. ¿dentro? dos progressos deste seculo, olhão como desnecessarios e nocivos a tão grandioso fim os horrores feitos do anno 91, e da Convenção Franceza (la Revolució francesa).

Por consiguientes não temos duvidado, nem agora duvidamos levantar a nossa debil voz contra um acto horrivel, que manchará de sanque innocente as bellas paginas da nossa revolução, e que arrancará gemidos de dor e de vergonha a todos aquellos que sinceramente e de boa fé estão, como nós, comprometidos della. Uma anciã, debil, inerme, indefensa, innecente, é covardemente sacrificada n'uma cidade principal do Reino, sem mais delicto do que ter, ha 40 annos, trazido em seu ventre um Chefe rebelde!

E que Lei condemnava esta desgraçada? Nenhuma: disse-se, que as represálias; porém ¿que comparação tem um Ministro comprometido contra a cauza que defende o rebelde Cabrera, que lhe nega a obediencia, que protege os seus inimigos, acreditando assim a sua lealdade, heroicidade e valor para comnosco, e a sua aversão ao Pertendente e seus partidarios?, ¿que comparação tem, repetimos, com uma misera Senhora, obediente á legitima authoridade, e imbecil para todo pela sua idade, pelo seu sexo? Lançar-nos-ão em face a Lei da conveniencia: porém, ¿poderá em qualquier caso convir o desacreditar a causa da justiça com actos injustos, a da humanidade com attentados atrozes, a do progrosso com o odioso dos seculos barbaros? ¿Convirá, por ventura, cortar os poucos laços, que unem esses filhos degenerados com a sua mãi patria, para que, despedaçado então todo o vinculo, e cerceada toda a esperança, se convertirão em feras, e sacrifiquem ao seu furor, e vingança vinte por cada um dos que nós immolamos?

¡E que Tribunal conheceo desta causa? Esta é, fóra de toda aduvida, a circunstancia mais agravante do successo em questão. Dous Capitães Generaes dispõen a seu belprazer da vida dos cidadãos. Seis seculos não tem sido capazes de purificar a mão de D. Juan el de Tarifa do sangue do filho de Guzman el Bueno [fets del s.XIII], e no seculo XIX se repete um igual attentado, e dous altos funcionarios militares se vanglorião delle, ameaçando com igual sorte a innumeraveis familias comprometidas na causa da Rainha? Porque ¿por ventura não é uma das condicções mais duras da guerra civil, irmãos tomarem as armas contra irmãos, pais contra filhos? O chefe rebelde, que encontrou a morte diante dos muros de Bilbáo, não tem um irmão n'um dos primeiros Tribunales do governo legitimo? ¿A infeliz Mãi, que vio rolar a ensanguentada cabeça de um filho (O'Donnell) pela explanada da Cidadella de Barcelona não encerrou tambem em suas entranhas a um dos mais valentes defensores da libertade? Por qual delles deveria ella responder? Ainda mais, ¿não se embalárão no mesmo berço (es van gronsar en el mateix bressol) o rebelde Principe que hoje alimenta com seu nome a guerra civil, e o primeiro mais zeloso defensor da nossa Rainha o S. S. D. Francisco de Paula (Francisco de Paula de Borbón, germà de Carlos María Isidro)?

¿E que diremos do estampído, que semelhante atrocidade fará nas nações estrangeiras? Lêa o General Mina os periodicos dos outros paizes, e verá como considera a culta e filantropica Inglaterra, a liberal e virtuosa França, os feitos em que elle teve menos parte, e maior desculpa.

¿Que dirão os inimigos da nossa cauza, que desde as.. ¿criticas? de Navarra fazem quanto podem para nos deacreditar? Que dirão em fim os numerosos liberaes, que tem abraçado a nossa santa causa, como se nella estivera debuxada a humanidade, e o respeito ás leis?

Em quanto ao effeito, que produzio nas hordas facciosas do Aragão, o bando de Cabrera o indica; longe estamos de desculpar um bando tão horrivel e atroz; porém valha a verdade: ¿que faria qualquer homem imparcial, Cordova mesmo, que hoje conduz á victoria os nossos soldados, se visse immolada innocentemente uma Mãi que adora, e expostas a igual sorte suas proprias irmã?

¿E que dirão, finalmente, os dignos Procuradores que alçárão a voz no santuario das leis em virtude de um attentado igualmente illegitimo se bem que não tão injusto, commettido nas pessoas dos Chapelgorris?

¿Os povos em fim que observão um Capitão General, um Ministro talvez, senhor e arbitro absoluto de suas vidas e fazendas, sem mais lei do que a sua vontade, sem mais sentença do que a sua voz, conhecerão que se achão debaixo do paternal governo de um anjo, e no recinto deuma nação livre!

Talvez responderão a isto certos terroristas, que a iguaes estragos deve a França a sua liberdade, talvez parafrazeando o dito dos Republicanos Francezes: a guilhotina é a nossa máchina para cunhar moeda, dirão que os supplicios são as nossas baterias para destruir os facciosos; porém eu lhes responderia que o filho primogenito e hedeiro da revolução de França foi o héroe de 18 Brumaire; o seu resultado immediato, o despotismo imperial: e se o soldado do seculo, embriagado de glória e de poder, não tivesse ultrajado esta nação que elles pertendem terrorizar, se não tivesse em 2 de Maio commettido em Madrid iguaes tropelias ás que agora se tem executado em Tortosa, talvez a aguia que pereceo amarrada a un rochedo de Santa Elena, estendesse hoje o seu vôo pela Europa inteira. A clemencia do sabio Luiz XVIII, a necedade de seu irmão, a sensatez sobre tudo dos vencedores de Julho, forão os que fizerão de novo tremular o pavilhão tricolor sobre a mutilada columna de Vandome; não attentados, não infracções da Lei, como as que hoje em dia se querem fazer ganhar raizes na nostra patria. Dolorozo é que um povo amotinado commetta tropelias, vergonhozo que alguns centenares de malvados se servão do seu nome para perpetra-las, porém mais é, que supremas authoridades se arrojem ao campo da illegalidade.

Resumindo esta espinhoza questão dirremos só, que taes actos, que infamão o partido que os commete, são mui pouco a proposito para augmenta-lo, ou para vencer o contrario: que nós não advogamos a lenidade, mas sim a legalidade das penas; e em fim que, se é necessario que a justiça banhe todo o seu braço no sangue dos culpados, embeba-o muito embora, todavia nem sequer com a extremidade do dedo toque nos dos innocentes. (Abeja.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.65, pp.1075-1078. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


<<O ECCO, N.º 69. Segunda feira, 28 de Março. 1836.

NOTICIAS DO PAQUETE INGLEZ. Londres 23 de Fevereiro. - A seguinte carta escripta por uma authoridade de Saragoça, na qual podeis collocar inteira confiança, mostra claramente que os Christinos não são mais felizes no Aragão do que na Biscaia: - "Saragoça, 13 de Fevereiro. - O Chefe Carlista Cabrera atacou ha poucos dias um Batalhão, que escoltava um comboi de dinheiro e provisões de Lerida para o Exercito. Depois de um serio combate, os Christinos forão obrigados a retirar-se com grande perda, deixando em poder dos Carlistas todo o comboi. Logo depois desta occurrencia Cabrera caío sobre o General da Rainha, Nogueras, o qual depois de obstinada resistencia foi compellido a retirar-se em desordem, deixando bastantes mortos no campo de batalha. Nogueras para satisfazer sua cobarde vingança pela deshonrosa derrota, que soffreo ordenou que fossem immediatamente fuzilados, a máis, irmãos, e parentes do Chefe Cabrera! - Dá-se por certo que se tem suscitado serias differenças entre os Generaes Christinos, Nogueras e Palarea, e que este passará do Reino do Aragão para o de Valencia. - O General Serrano torna para esta provincia na qualidade de Capitão General, e o General Rodil recebeo ordens para organisar um corpo de 2$500 (2.500) homens, destinado para o Aragão. [...]">>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.69, p.1154. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


<<O ECCO, N.º 73. Segunda feira, 11 de Abril. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] O Governo acaba de separar do Commando o Brigadeiro Nogueras, em consequencia de pedir o fuzilamento da Mâi de Cabrera. (Talvez fosse para dar a satisfação, que se disse ter sido exigida pelo Governo Francez, com a condicção de mandar retirar a Legião no caso negativo.) Questiona-se, se Mina deriva ser comprehendido nesta medida, por acceder á rogativa de Nogueras.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.73, p.1251. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Febrer, 16. Urcelay ens fa una cronologia de les guerres carlines:

<<16 de Febrero.- Fusilamiento en Tortosa de María Griñó, anciana madre de Cabrera, ordenado por el general Nogueras y ratificado por Espoz y Mina, Capitán General de Cataluña. Conmoción entre los habitantes de Tortosa y de todo el Maestrazgo.>> (pàg.22)

[URCELAY ALONSO, Javier (2004): El Maestrazgo Carlista. Una visita a los escenarios y lugares de las Guerras Carlistas del siglo XIX. Editorial Antinea. 3ª Edición. Vinaròs.]


 1836

Febrer, 19. Comença la desamortització de Mendizábal. Juan Álvarez Mendizábal entra de primer ministre en 1835 i tenia dos problemes fonamentals: arques públiques buides i una guerra civil contra els carlistes. Amb aquesta mesura pretenia solucionar les dues coses. Però el que va passar és que es van incrementar els latifundis i l'entrada de diners a les arques de l'estat va molt lent. No va anar seguida de cap reforma agrària. I, com eren bens de l'església regular, aquesta excomunicava tant al venedor com als compradors, així que tot es feia amb intermediaris. Va ser una mica especulatiu. Francisco Segarra ens dona un exemple proper:

<<El año 1836, Mendizábal, con sus leyes desamortizadoras, supusieron la expropiación de la mayor parte de los bienes de la Iglesia y la secularización del clero. En Aragón se subastaron 38.055 fincas [...]. Las propiedades que tenía el pueblo de Catí en la ermita de l'Avellà, también quedaron requisadas por el Gobierno. Las tierras, la fonda conocida como 'L'Avellà', y la actual 'Casa de Banys', sufrieron los rigores de la ley de desamortización. Se salvó de la expropiación el edificio conocido como la ermita, gracias a la decisiva intervención en Madrid del Obispo de Tortosa. Al poco tiempo de quedarse el estado con estas posesiones, las puso en venta y las compró un tal Musástegui que, haciendo negocio, las vendió al Barón de Casablanca, de Catí. Los descendientes del Barón, a su vez las vendieron a dos primos conocidos como Gabriel Miralles y Vicente García, este último conocido como 'Borjo'. En la actualidad la 'Casa dels Banys', que ya ha sido vendida otra vez, es propiedad y la regenta la familia Puig Puig, de Catí.>> (pàg.275)

[SEGARRA CAPSIR, Francisco (2016): Todas las guerras sufridas en el Maestrazgo histórico. Editorial Antinea. Vinaròs.]


 1836

Febrer, 20. Urcelay ens fa una cronologia de les guerres carlines:

<<20 de Febrero.- Cabrera lanza desde Valderrobres una dura proclama y manda fusilar a tres mujeres que tenía como rehenes desde que su madre había sido apresada, en represalia por la crueldad cometida con su inocente madre. La guerra en el Maestrazgo inicia su período más sangriento.>> (pàg.22)

[URCELAY ALONSO, Javier (2004): El Maestrazgo Carlista. Una visita a los escenarios y lugares de las Guerras Carlistas del siglo XIX. Editorial Antinea. 3ª Edición. Vinaròs.]


Si bé n'afusellen a tres, Francisco Segarra ens diu que en principi n'havien de ser quatre, i ens dóna els noms i de quins militars eren parents:

<<A los pocos días esta desafortunada decisión llega a conocimiento de Cabrera, que se encontraba en Valderrobres (Teruel); inmediatamente mandó fusilar a cuatro mujeres que tenía como rehenes desde el apresamiento de su madre; María Roc, viuda del coronel Fontiveros; Mariana Guardia, esposa de Urquizu e hija de Pedro Guardia, oficial de Cabrera [aquesta va ser perdonada per ser filla de carlista i es va amagar a Fredes]; Jacinta Foz, suegra de Mariana [mare d'Urquizu, doncs]; y Francisca Urquizu Foz, hija de Jacinta y cuñada de Mariana [germana d'Urquizu, doncs].>> (pàg.274)

[SEGARRA CAPSIR, Francisco (2016): Todas las guerras sufridas en el Maestrazgo histórico. Editorial Antinea. Vinaròs.]


 1836

Febrer, 22. Es publica una breu nota sobre moviments de tropes a Alcañiz. Uns dies abans ja es parlava d'accons per aquella zona.

<<O ECCO, N.º 59. Segunda feira, 22 de Fevereiro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Parece que nestes ultimos dias tem havido alguma inquietação entre os liberales de Alcaniz (Baixo Aragão) com a noticia de que a poucas leguas se acha reunida a facção em numero de 2$ (2.000) homens. (Rev. Mens.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.59, p.958. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Febrer, 23. Es publica una breu carta sobre moviments les forces de Cabrera.

<<O ECCO, N.º 62. Quinta feira, 3 de Março. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Valencia 23 - O rebelde Cabrera tornou a reunir uns 800 homens, e posto á sua frente vai espalhando o terror e a morte pelos povos por onde tranzita. As nossas valentes Columnas tem já combinado os seus planos, e esperamos mui breve a nova destruição daquelle Chefe, e o justo castigo que merece pela sua crueldade. - Lemos Cartas de Terual (Teruel) que affirmão, que muitos dos facciosos, acolhidos ao Indulto nos fins do anno passado, tornárão a tomar as armas contra o legitimo Governo.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.62, p.1023. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Febrer, 28 aprox. Arriben les primeres reperesàlies de Cabrera per l'afusellament de la seva mare. La deplorable acció de Mina la paguen dos pobres dones de Besseit.

<<O ECCO, N.º 65. Segunda feira, 14 de Março. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Escrevem de Alcaniz em 28, que Cabrera mandára fuzilar em Beceite duas mulheres em represalias pela morte de sua mâi. O correio que saío da Corte para ali a 24, pareos que foi surprehendido a uma legua desta cidade com a escolta. "Isto vai mal; se o Governo não olha para este Baixo Aragão com mais interesse, póde estar seguro que se converterá em uma Navarra, pois ninguem póde sair de sua caza, nem dos muros da cidade".>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.65, p.1078. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Febrer, 27. Arriba la notícia de la detenció d'un metge prop de València, per pressumpta conspiració:

<<O ECCO, N.º 64. Quinta feira, 10 de Março. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Valencia 27. Distante uma legoa desta cidade, descobrio-se um principio de conspiraçõ, por cujo motivo está preso o Medico Vives, e tres irmãos seus, e couza de 13 pessoas. (Nacional.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.64, p.1062. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Febrer, 27. Carta des de Morella queixant-se de que s'infravaloren les forces carlines en aquesta zona .

<<O ECCO, N.º 67 Extraordinario. Segunda feira, 21 de Março. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Idem 12 - Morella 27 de Fevereiro. - Não sei como a Revista Espanhola affirma, que aqui não ha facciosos, mais do que pequenos grupos, que assaltão o inerme passageiro. É mister que, quem tal disse, veha e observe. Assim é como se engana o publico. Antehontem estavão 4$ (4.000) em Beceite, e delles 1$300 (1.300) passarão hoje por Zorita (Sorita), Ortell (Ortells), el Orcajo (Forcall), e la Mata para Tronchon, ás ordens de Quilez. Á noute chegou Serrador á Mata (la Mata) com 600 homens, havendo naturalmente reunião. Que misterio é este de com tanto affinco se empenharem a occultar o considerar as baixas das passadas derrotas, ao passo que não se contão 2$ (2.000) das nossas tropas para persegui-los? Quem duvidar disto, é vir com 200 ou 300, e ainda com 500 valentões, a ver se andão pacificamente tres leguas! Assim é como se comprovão as verdades.

- Hontem chegou a esta Corte o General Carratalá. A sua prensença poderá aclarar qualquier conceito equivocado, a que possão ter dado causa as noticias de Valencia [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.67 Extra., pp.1123-1124. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Febrer, 27. Es tornen a interceptar els correus.

<<O ECCO, N.º 68. Quinta feira, 24 de Março. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Madrid 8 de Março. - O Correio que devia chegar a Alcanhiz (Alcañiz) no dia 28, foi interceptado a uma legua daquella cidade pela Cavalleria facciosa, que passava pela estrada de Samper (Samper de Calanda) para reunir-se a Quilez. [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.68, p.1141. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Març, 2. Parla d'un combat ací als Ports. I, en el número, una mica més endavant, també llegim una notícia sobre Segorbe. La mala qualitat de la impresió no ens permet anar més enllà.

<<O ECCO, N.º 66. Quinta feira, 17 de Março. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. Madrid 8 de Março. - O Capitão General de Valencia officia ao Ministro da guerra em 5 do corrente, remettendo uma parte do General Pelarea, datada de S. Matheo (ao Norte do mesmo Reino) com data de 2, dizendo est'outro que, sabendo que as facções de Cabrera e Forcadell tinhão tomado a direcção de Penharoya (Penya-roja) por Herves (Herbés), em numero de 3$ (3.000) homens, se pozera em marcha para Trayquera (Traiguera), em virtude das noticias que acabava de receber do encontro da columna do Commando de Buil com as facções de Serrador, e do perigo que corria se este effeituasse a sua junção com Cabrera. Constou lhe depois pelos espias que aquella columna se retirava, remettendo-lhe o seu Commandante (Buil) um officio, que transcreve, em que lhe communica a acção, que sustentou nas planicies e Villa Franca (Vilafranca) com as facções de Serrador e outros, em numero de mais de 1$ (1.000) infantes, e o melhor de 130 cavallos. O inimigo repellio uma carga de Cavalleria, pela superioridade da sua, e depois d'elle (Buil) ter mandado renovar o ataque tres vezes, vendo o empenho do inimigo em querer apoderar-se das bagagens e reserva, retirou-se para Arés (Ares), onde foi atacado até que sobreveio a noute. Diz que o inimigo tivera 18 mortos, e muitos feridos, e que da sua parte contava 8 dos primeiros, e 21 homens, e o cavallo em que andava montado, feridos. (Gaceta de Madrid)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.66, pp.1089-1090. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Març, 3. Petita nota de Beseit.

<<O ECCO, N.º 70. Quarta feira, 30 de Março. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES FRANCEZES. [...] Idem. - Receberão-se noticias de Valencia de 3 do corrente. Em Beceite estavão 200 insurgentes, e Cabrera tinha obrigado as pequenas bandas a unirem-se-lhe. (Journal de Paris.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.70, pp.1187-1188. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


<<Nº.36 VENEZIA, GIOVEDI 24 MARZO 1836.

SPAGNA. [...] Si ricevettero notizie da Valenza (València) in data 3 marzo. Dugento carlisti si trovavano a Beceite; mentre Cabrera costringeva alcune picciole guerrillas ad unirsi al suo corpo.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Març, 7. Sobre l'enforçament de les tropes carlines al Baix Aragó. El text està en ma estat i fa difícil la seva transcripció.

<<O ECCO, N.º 65. Segunda feira, 14 de Março. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Idem 7. - Advertem-nos de Saragoça, que se adianta pouco contra as facções, ao passo que ellas se engrossão, e causão muitos damnos na terra baixa. Parece que estabelecêrão os seus arraiales [campaments militars] em Calaceite, e que tirão aos outros povos a azeitona.. ¿?, vendem o azeite, e se approveitão do dinheiro. (Rev. Mns.) [...] - Escrevem do Baixo Aragão, que o espirito publico se acha muito abatido; as recrutas desertão aos bandos; um Coronel de linha recebeo ordem de.. ¿usar? 900 recrutas de Saragoça, mas disse elle que não saia a campo com semelhante gente, que não havia de querer combater com os seus parentes. Que se precisa dar-se o Commando em Chefe a Palarea, que andão por aquella de paiz 6$ (6.000) facciosos, e apenas ha 1.900 soldados fieis.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.65, pp.1079-1080. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Març, 8. Carta des de València .

<<O ECCO, N.º 67 Extraordinario. Segunda feira, 21 de Março. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Valencia 8 de Março. - O incrivel augmento que tem tomado as facções desta provincia, e do Baixo Aragão, a insufficiencia de nossas columnas, que apezar do seu acreditado valor, não podem fazer frente aos rebeldes em razão da sua diminuta força, a apathia que se tem notado no nosso Capitão General D. Jozé Carratalá, á vista de mais de 1$ (1.000) recrutas que saírão para Segorve (Segorbe) cheias de miseria e nudez, a prisão finalmente dos processados pelas occorencias de Setembro ultimo, exasperão os animos dos Valencianos e derão motivo ao que vamos referir. (Diz que na noute de 6 se reunirão muitos grupos, pedindo a liberdade dos seus companheiros, e a morte dos facciosos. Carratalá passou logo á cidadella, onde estavão os prezos, e tomou outras providencias, de meneira que ás 10 horas dispersárão-se os grupos, ate ao outro dia pela manhã que tornarão a reunir se. Ao meio dia publicou o General um bando declarando que, depois de dar a cidadella dous tiros de peça, todo o individuo que se encontrasse na rua seria julgado sedicioso, porem vendo que os grupos, fazendo cauza commum com os Nacionaes não se dispersavão, mas antes insistião nas suas intenções, e pedião a sua cabeça; depois de ter ouvido uma commissão enviada pelos amotinados, soltou os prezos processados, e fugio, deixando o commando, segundo se diz, ao General Bretón. As 11 da manhã, em que foi escripta esta carta reinava a tranquillidade.) (Espanhol)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.67 Extra., p.1124. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Març, 9. Carta amb una petita notícia d'Alcanyís.

<<Nº.38 VENEZIA, MARTEDI 29 MARZO 1836.

SPAGNA. [...] Una lettera di Saragossa el 9, dice che le notizie della Bassa Aragona sono favorevoli pei carlisti, e che il feroce Nogueras si trova da essi stretto assai da vicino ad Alcaguiz (Alcañiz)>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Març, 11. Més notícies sobre el Baix Aragó .

<<O ECCO, N.º 67 Extraordinario. Segunda feira, 21 de Março. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Saragoça 11 de Março. - O correio de hoje do baixo Aragão não é tão sanguinario como os anteriores, os facciosos dão quartel, e offerecêrão indulto a todos os Nacionaes que se lhes apresentem.

- Torner atacou Gandesa com petrechos nunca vistos, taes são canhões de carvalhos. Este cabecilla tem hoje em dia 1,500 homens, em quanto Quilez, e Cabrera arrastão apoz de si 5,700; occupando estes a Beceite, e Calaceite, continuão a fazer azeite, que nos trazem os ordinarios, os quaes segundo a voz publica ganhão quatro pesetas em arroba, porque o comprão a 38 reales, e o vendem aquí a 54.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.67 Extra., p.1127. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


<<Nº.41 e 42 VENEZIA, MARTEDI e GIOVEDI 5 e 7 APRILE 1836.

SPAGNA. [...] --- Scrivono da Valenza, in data del 12 di marzo: "L'ordine è ristabilito in questa città, quantunque gli spiriti siano ancora agitati. Ogni vantaggio de' carlisti che corrono la nostra provincia farà qui nascere nuove turbolenze. Il governo non ha fatto caso delle fazioni formatesi nella Bassa Aragona e nel regno di Valenza, esse si sono grandemente accrescinte, e contano già 7200 uomini, di cui 1500 sotto il comando di Torner, dal canto di Gandeia (Gandesa), e 5700 guidati da Quilez, Cabrera, El Serrador, che si sono stabiliti a Baceita (Beseit) e Calaceita (Calaceit), ed infestano particolarmente la nostra provincia.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Març, 17. Notícies sobre l'augment de la força dels carlins.

<<O ECCO, N.º 74. Quinta feira, 14 de Abril. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE FRANCEZES. [...] Paris 17 de Março. - Catalunha. - Examinando com attenção o que se passa na Catalunha, no Aragão, e na provincia de Valencia, cada um é levado a acreditar, que Carlos 5º está em vesperas de operar por massas, e de pôr cobro a essa guerra de partidas, que fatigava as localidades, umas apoz d'outras, sem progresso nem resultados, em quanto ao exito final da cauza.[...] Em Valencia, Serrador e Cabrera, fizerão a sua junçã em Fortalette (Fortanete), e uma ordem do ultimo determina que todos os Chefes de guerrilhas se lhes reunão, sob pena de serem tratados como rebeldes.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.74, pp.1271-1272. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Març, 14. Llegim de les fonts angleses que arriben al diari "O Ecco", un resul de dades de les forces en aquell moment, i ho fa, segons veiem, basant-se en el Censo de Godoy de 1799, publicat en 1802.

<<O ECCO, N.º 72. Quinta feira, 7 de Abril. 1836.

NOTICIAS DO PAQUETE INGLEZ. Londres 14 de Março.[...] A população de Valencia é de 825$059 (825.059) habitantes, dos quaes 27$ (27.000) são paizanos, &. O contingente para a leva de 100$ homens foi de, incluindo Murcia, 12$863 (12.863). O estado desta provincia é bem digno da mais seria attenção, por se achar na estrada recta de Catalunha para Madrid, quero dizer, a estrada que provavelmente os Carlistas hão-de tomar para chegar a Madrid. A força Carlista nesta provincia é considerabilissima, porquanto as bandas de Quilez, Cabrera, e Serrador sobem a 8$ (8.000) infantes, e 500 cavallos. Os Jornaes de Madrid, e os da Fronteira Franceza, enterem os leitores com victorias diarias, ganhadas pelos Christinos sobre aquelles famosos chefes, porem, bem com as repetidas aniquilações dos Carlistas nas provincias do norte, os partidarios de D. Carlos gradualmente se augmentão, ao mesmo tempo que as forças da Rainha diminuem proporcionalmente. Quem, portanto, ousará dizer, que Valencia está em sentido favoravel á Rainha?

A população do Aragão é de 657$376 (657.376) habitantes, dos quaes perto de 27$ (27.000) são paizanos, &, e as recrutas, pedidas por Mendizabal, forão 6$064 (6.064). Ha tempos que vos mando informações sobre o progresso dos Carlistas nesta provincia, especialmente no Baixo Aragão, o qual pela sua immediata vizinhança a Valencia, está debaixo do commando dos chefes referidos nesta ultima. Ninguem ignora que, apezar da Rainha ter nesta provincia uma força respeitavel, sob o comando de Palarea, Nogueras, e Rodil, o exercito não póde mover-se senão em corpos concideraveis, e todos os seus soccorros são interceptados pelos Carlistas, os quaes estão de posse, ou para me expressar com mais exactidão, entrão e sáem, aonde querem, e em muitas povoações notaveis da Catalunha & No Alto Aragõ não estão em força os Carlistas, porem ofrece-se esta circunstancia recomendavel, que elles levantão contribuções em Barbastro e Huesca.

Receio de tocar na Catalunha; que não seja eu taxado de exageração, sendo o meu desejo antes de peccar por diminuição, do que por excesso; não obstante tudi isto, digo com toda a firmeza, que da população de mais de 900$ (900.000) habitantes desta provincia, mais de dous terços são a favor de D. Carlos. Eu estou á espera de relações officiaes, para tratar mais a preceito do estado desta porção do Reino; por tanto, passarei a tomar duas outras privincias como exemplo do etado de opinião. [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.72 Extra., pp.1220-1221. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Març, 20. Més notícies sobre el Baix Aragó, on es corria la veu de que els carlins fundien campanes per fer canons.

<<O ECCO, N.º 71. Segunda feira, 4 de Abril. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Alcanhiz 20. Corre a voz de que aos portos os Carlistas fundem sinos [campanes] para construir canhões.

- Valencia 22. As facções desta provincia e do Baixo Aragão continuão cada vez mais formidaveis: Serrador cheou estos dias até ao povo de Nules. - Os animos dos Valencianos continuão agitados; no dia 20 forão presos o Coronel D. Andres de Eguaguirre e o Capitão Brutão (Bruton?), por se lhes haver apanhado, segundo se diz, certas communicações com a pessoa a quem tinhão elegido chefe de uma revolução machiavelica o intempestiva. Nessa noute esteve sobre as armas quasi toda a Guardia Nacional desta cidade. (Espanhol.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.71 Extra., p.1203. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


<<O ECCO, N.º 79. Segunda feira, 2 de Maio. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES FRANCEZES. [...] - Idem. - Le-se na Guienne: - "Escrevem de Saragoça em 20 de Março, que o Genera Rotten havia chegado para substituir Nogueras, deportado para Valencia, porem sem trazer um só soldado apesar de se fazer sentir cada vez mais a necessidade de reforços, porque os facciosos estão em plena liberdade e tanto á sua vontade, que tranquillamente e sem o menor obstaculo fabricão canhões, cartuchos &c. e que finalmente acabão de lexar a audancia até virem a toda a hora surprehender-nos, e arrebatar-nos muitos Urbanos junto ao paseio da nossa Cidade." (Gazette de France.) [...] Idem 12. - A Guienne descrevendo os desordens de Saragoça dos fins de Março que ja publicámos, termina da seguinte maneira: - "Todos estes excessos começão a produzir grandes resultados, por que o temor de males mais horrorosos determina povoações inteiras a colocarem-se debaixo da protecção dos Carlistas. Cabrera vê augmentar todos os dias o numero dos seus soldados, e antes de hontem soubemos que elle serem aproximado de Valencia, d'onde o terror da sua chegada tem feito fugir os mais criminosos dos revolucionarios. (Gazette de France).>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.79 Extra., pp.1367-1368. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Març, 21. Carta amb informació sobre les forces dels exèrcits en aquell moment .

<<O ECCO, N.º 79. Segunda feira, 2 de Maio. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES FRANCEZES. [...] - Idem. - Correspondencia particular - Saragoça 21 de Março. - O espírito das povoaões do Aragão, sobre tudo no Baixo Aragão, está muito mal disposto para a ordem de cousas existente em Madrid. O Exertito Carlista que está organisado eleva-se a 12$ (12.000) homens de Infanteria e 600 cavallos, dividindo-se em 3 Divisões. A 1.ª é designada com o nome de 'Divisão do Aragão', e é commandado por Quilez e Porluetas [sic, ?]: este ultimo era Coronel Comandante do destricto de Calatayud no reinado de Fernando 7º; tendo sido preso ultimamente pelas suas opiniões politicas, foi condemnado a 10 annos de deportação, mas tendo conseguido evadir-se, veio reunir-se nos Carlistas. A 2ª é designada com o nome de 'Divisão de Valencia' e é commandada por Serrador e Forcadell. A 3ª é chamada 'Divisão da Catalunha', e é commandada por Cabrera. Quasi todo o reino de Valencia está em poder dos Carlistas: elles estabelecérão uma fabrica de armas em Calaceyte (Calaceit), junto de Alcanhiz, a 13 leguas de Saragoça, na estrada de Valencia.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.79, p.1369. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Març, 25. Una petita nota sobre la minva de les forces dels Cristins al Baix Aragó.

<<O ECCO, N.º 76. Quinta feira, 21 de Abril. 1836.

NOTICIAS DO PAQUETE INGLEZ. [...] Idem 8. Uma carta de Rippol (Ripoll) (Catalunha) de 25 de Março diz, que no Baixo Aragão não se vê já um Christino, por que os Carlistas estão por toda a parte. >>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.76, p.1307. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Març, 27. Diverses notícies, entre el Baix Aragó i les terres catalanes .

<<O ECCO, N.º 71. Segunda feira, 4 de Abril. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Idem 27 - Dizem de Alcanhiz: - Torner occupava a Caseras (Caseres), tendo adiantado uma companhia para Calaceite (Calaceit), e segundo os que vem daquelhas partes, esperava-se o dito chefe, com quem anda a Junta. Esta dirigio uma exortação aos seus affeiçoados, cheia de sandices e mentiras, para mantera a illusão nas maquinas animadas, mas que fazem muito mal.

- Para mais de 10$ (10.000) fangas de sal dizem que ajuntou Torner em a Administração e Alfoli [un 'alfolí' es un magatzem de sal]de Flix, obrigando aos povos, que invade, a que o tomem a dinheiro contado, o que lhe subministrará muitos milhares de pezos.

- Cabrera, Quilez, Anhon (Añón), Forcadell, e tambem se diz Serrador, com 4$ (4.000) infantes e 200 cavallos, pedirão 6$ (6.000) rações em Hijar: estamos prevenidos para o caso de se dirigirem a este ponto. A facção chegou hontem de tarde a Arinho (Ariño).>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.71 Extra., p.1204. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Març, 27. Notícies arribades per carta des de Peníscola.

<<O ECCO, N.º 74. Quinta feira, 14 de Abril. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Madrid 3 d'Abril. - Peniscola 27 de Março. - Neste paiz cada dia se põe as cousas em peor estado, porque o nosso Governo só tem o dominio nos povos onde conserva guarnições, e no terreno que pisão as columnas. Estas são unicamente duas no Reino de Valencia, que se compõe de uns 3$ (3.000) homens,e que não podem dividir-se. Os facciosos tem 4 fortes, e infinitas pequenas. Estabelecêrão na Serra, e nos arredores de Morella seu Commandante d'Armas com 8 ou 10 homens em cada povo. Estes Commandantes recebem todas as circulares e ordens do nosso Governo; elles mandão tudo, e os Alcaldes tem que dar-lhes as rações e dinheiro que pedem. Eu dezejaria ver nestes povos esses senhores da Corte, que não querem a intervenção das potencias alliadas, e que dizem que promptamente acabarão com as facções. Sim, acabarão comnosco, se não nos enviarem mais auxilios, do que os que tem vindo até hoje. O General Palarea e Buil cansão-se pelas montanhas; porem pouco adiantão, porque não são bastantes as tropas que tem. - A facção vai augmentando o numero de gente á proporção do armamento que adquire, obriga a todos os moços a tomarem as armas, dos quaes muitos vão gostosos. (Abeja)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.74, pp.1275-1276. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Març, 29. Notícies de l'interior de València (notíciles com aquesta, que ens queden una mica lluny, n'apareixen més però no les transcribim totes):

<<Nº.49 VENEZIA, SABBATO 23 APRILE 1836.

SPAGNA. [...] --- Si annunzia, che il 29 di marzo i carlisti si sono impadroniti, per sorpresa, delle città di Livia (Llíria), di Benaguacil e di Villamarchante, nella Valenza.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


1836

Març, 30. En un llibre anònim sobre les guerres carlistes a Catalunya, llegim també algunes coses que ens passen a prop:

<<Apenas Iriarte tuvo notícias de que Torner pernoctaba en Arnes y que tenía por objeto reunirse en él con las fuerzas de Aragón y Valencia, concibió y puso en ejecución el proyecto de sorpenderle a la madrugada, emprendiendo el movimiento desde Gandesa a las nueve de la noche del 30 de marzo por caminos extraviados para ocultar su marcha, y en efecto logró hallarse a las cinco de la mañana repasando el río Algás a las inmediaciones del pueblo. Pero el enemigo no esaba desprevenido: las avanzadas hicieron luego los disparos de señal que tenían de costumbre y pusieron en alarma a su gente tomando la dirección a los puertos de la sierra por el camino de la Escala [...]. Pero rehechos en las elevadas alturas llamadas las Molas de Beceite, donde tenía n de antemano alguna fuerza para apoyarse, lo fragoso del terreno les proporcionó reunrise con alguna antelación al alcance de los que los perseguían>> (pàg.134)

[TEATRO DE LA GUERRA: Cabrera, los montemolinistas y republicanos en Cataluña. Crónica de nuestros días, por un testigo ocular de los acontecimientos. Imprenta de D. B. González, calle de la Hortaleza, 89. Madrid (1849).]  books.google.es


 1836

Abril-Juiol. Urcelay ens fa una cronologia de les guerres carlines:

<<Abril-Julio.- Cantavieja es tomada por los carlistas. En pocos meses se acomete su fortificación, y se convierte en el centro militar principal de los carlistas del Maestrazgo, instalando en ella hospital, fábricas de municiones y academia militar.>> (pàg.22)

[URCELAY ALONSO, Javier (2004): El Maestrazgo Carlista. Una visita a los escenarios y lugares de las Guerras Carlistas del siglo XIX. Editorial Antinea. 3ª Edición. Vinaròs.]


 1836

Abril, 3. El Serrador ataca Sant Mateu:

<<O ECCO, N.º 76. Quinta feira, 21 de Abril. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Serrador e outros atacárão a villa de S. Matheo (Sant Mateu) com 2300 infantes e 200 cavallos, em o dia 3, porem forão depois repellidos pela tropa Christina da guarnição. (Espanhol.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.76, p.1320. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


<<Nº.55 VENEZIA, SABBATO 7 MAGGIO 1836.

SPAGNA. Il Journ. de Paris  [...] Secondo lo stesso foglio, il solo che oggi fornisca notizie militari di Spagna, Cabrera, il quale si era il 2, avanzato sino a poca distanza da Burjasot, sulla strada di Madrid, è stato, dopo un caldo combattimento, seonfitto da Palarea, perdendo 300 uomini: alla domane Cabrera sarebbe fuggito disordinatamente verso Alcublas. Lo stesso giorno la banda di El Serrador, penetraba per sorpresa in San Matteo (Sant Mateu), 20 leghe da Valenza, veniva respinta.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Abril, 5. Notícies una mica allunyades però com que parlen del vilafranquí Miralles, ací les deixem:

<<Nº.47 VENEZIA, MARTEDI 19 APRILE 1836.

SPAGNA. [...] La cità di Valenza (València) è tuttavia come minacciata dalle bande del Serrador: si aggiunge che Murviedro (l'antica Sagonto) è pur bloccato da essi: --- Una lettera di Tortosa del 5 dice: "Gli avvisi autentici della Valenza recano che Cabrera estende sempre più i suoi progressi. Le intelligenze ch' egli tiene nelle città sono indicibili. --- Una cospirazione è stat scoperta a Gondio (¿?). --- L'ultima scorreria di Cabrera gli fruttò 600 fucili, danaro e molti cavalli: egli guida 4,000 fanti e 250 cavalleri. Terruel (Teruel) è investito da un' altra delle sue divisioni".>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Abril, 7. Carta que, entre altres coses, posa en dubte les informacions oficials. També per via francesa, es parla de la presa de Llíria per Cabrera i de que el Serrador està en Terol. La presa de Llíria es confirmada en el diari següent i diu que va ser el dia 29. També en aquesta altre número diu que Forcadell va entrar en Benaguacil, Beniano (Benissanó?); Vilamarxant; el 31, en Xerta i Xiva; i també El Toro i Barracas. Il nuovo Osservatore Veneziano del 28 d'abril també en parla.

<<O ECCO, N.º 79. Segunda feira, 2 de Maio. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES FRANCEZES. [...] - Madrid 7 de Abril. - O correio de Valencia que devia chegar aqui no dia 5, só chegou hontem. As cartas evidentemente contradizem as noticias publicadas pelo Governo em quanto á victoria ganhada por Palarea. Pelo contrario posso possitivamente affirmar, que o Ministro da Guerra recebeo despachos, dizendo que o Chefe Carlista Cabrera estava com 7$ (7.000) homens em Bunol (Buñol), a duas leguas de Valencia, e que toda a força que o General Christino tinha para lhe oppor, era dous Batalhões incompletos de Provinciães, algumas companhias de Peseteros, e 160 cavallos. - Os Carlistas desarmárão um Batalhão inteiro, apoderárão-se de 250 cavallos, e 800$ (800.000) reales em especie, pertenecentes ao thesouro publico. Em poucos dias Cabrera augmentou a sua cavalleria de 300 que era a 1$ (1.000) homens.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.79, p.1371. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Abril, 10. Es parla de Valdealgorfa en una carta del 15 de abril però que parla del diumenge anterior. El 15 era divendres, per tant, imaginem que està parlant del dia 10 d'abril.

<<O ECCO, N.º 77. Segunda feira, 25 de Abril. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Saragoça 15. - Domingo ás 3 da tarde entra Quilez em Valdealgorfa, a 3 legoas de Alcañiz (Baixo Aragão) expedindo um bando sobre a entrada dos... ¿Carlistas? em Liria; tinha 1$ (1.000) infantes, dos quaes 300 estavão desarmados, e 100 cavallos.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.77, p.1336 (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Abril, 11. Es publiquen diverses notícies de per ací .

<<O ECCO, N.º 73. Segunda feira, 11 de Abril. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Dizem de Valencia, que os facciosos organisárão as suas companhias de Aduaneros, os quaes fazem grandes requisições aos povos, e que a facção de Serrador estava nas vizinhanças da cidade de Segorbe, no mesmo Reino. Segundo as ultimas noticias do Aragão, Teruel (de 7$500 habitantes) estava meio sitiada por 4$ -4.000- facciosos. A Guarda Nacional, unica força que havia na Cidade, composta de uns 700 homens, estava resolvida a defender-se heroicamente.

- A correspondencia do Aragão, e Valencia pinta bem ás claras o estado deploravel daquelles paízes, o augmento dos nossos inimigos, e a urgencia de um remedio prompto e efficaz, que ponha a coberto os angustiados povos da desolação, que tão de perto os ameaça. [...] A facção que, durante o systema de fusão estava concentrada em a Navarra e Vascongadas, dilata-se hoje pelo Principado da Catalunha, e pelos Reinos de Aragão e Valencia; aquelles que outr'ora podião unicamente ser considerados ocmo quadrillas de salteadores, que fugião á vista dos nossos soldados, qualquer que fosse o seu numero, hoje apresentão já certa organisação, formão fortes columnas, esperão aos nossos valentes, tornão ás vezes a offensiva, e poem em practica suas operações militares. Em quanto estas mesmas forças podem chegar a meaçar Valencia e Saragoça, vêm-se estas capitaes commovidas interiormente por continuos transtornos, já destituindo-se Generaes, já pondo-se em liberdade delinquentes que devião ser julgados pela lei, e levando-se outros ao cadafalso, sendo obrigados os juizes a pronunciar uma sentença de morte, a que repugnava sua consciencia: hoje acclama-se um chefe, que amanhã é desterrado, (finalmente a authoridade vilipendiada, e feita o ludibrio [escarni, mofa] não do povo mas das facções. [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.73, pp.1251-1252. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Abril, 15. Més notícies:

<<Nº.56 VENEZIA, MARTEDI 10 MAGGIO 1836.

SPAGNA. [...] --- Il generale Roten succede come già si annunziò al brigadiere Nogueras nel comando generale del Basso Aragona ed in quello delle truppe di operazione che vuolsi raccogliere nelle provincie di Terruel (Teruel) e Castellon. Prima di lasciar la provincia, Nogueras diede un manifesto agli abitanti nel quale, annunziando che Roten gli sottentra nella carica, dice che se ne parte col rammarico di non aver avuto mai a sua disposizione le truppe necessarie per isconfiggere ed annichilare gl' insorti.

--- Gli avvisi cristini di Sarragossa del 15 dicono che la domenica antecedente Quilez trovavasi a Valdealgorfa, tre ore presso di Alcagniz (Alcañiz), con 1,000 fanti, fra cui 300 senz' armi, e 100 cavalli.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Abril, 19. Arriben accions via carta des de València. L'intentem transcriure però l'impresió del diari està en prou mal estat.

<<O ECCO, N.º 79. Segunda feira, 2 de Maio. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Valencia 21. - No dia 19 do corrente antes de amanhecer appareceo na villa de Burriana (8 leguas ao N. de Valencia) a facção commandada pelo Alcalde de Villareal D. Joaquin José Llorens, e a de Serrador, compostas de 900 infantes e 90 lanceiros, sem que ninguem podesse ter a minima noticia de tão desagradavel vizita; pois que por meio de uma marcha de 16 ou mais horas se apresentou o cacique de la Plana no mais plano d'ella: surprenhendeo Burriana á beira mar, e apezar da heroica defensa dos valentes Carabineiros e Guarda Nacional, tirou muitos cavallos, armas, e gente; passou d'ali aos povos de Nules, Villavieja, Vall de Uxo e outros varios, sem que se lhes fizesse alguma opposição. Os Chefes facciosos tiverão um conciliabulo, segundo parece, e por determinação do atrevido Joven Alcalde e outos que ha muito tempo já estavão instruindo a facção no manejo d'armas, evoluções de columnas, mudanças de frente, etc., jurárão dar batalha e antes morrer todos que entregar-se á vergohoza retirada que... a facção Valenciana ou de Serrador. O plano de ataque sabe-se positivamente que foi formado pelo atrevido Chefe Llorens, e este mesmo commandou a acção, dirigindo... ¿? á sua tropa tão energica como desesperada e formõu a linha de batalha em dous columnas, e a um flanco das forças de Cavallaria apresentou-se elle mesmo com as companhias facciosas mui bem ordenadas a tiro de pistola do seu adversario, manobrando e querendo-o envolver com um valor digno.. ¿? de melhor sorte; e só o arrojo dos defensores de Isabel 2.ª pôde conter as barbaras cargas d'aquellas hordas ferozes, que como feras esfaimadas se arremeçavão sobre as nossas.. ¿? morrendo o cabecilha Pelejana (é a 2ª ou a 3.ª vez que é dado morto); duas vezes cruzou o louco Alcalde a cavalho o campo da batalha animando os seus freneticos. Em Villafranca celebrárão os Chefes facciosos grande festa d'Igreja, havendo refrescos, etc., particularmente o Alcalde e Serrador, porém a principal função foi em Vistabella.

Em a noute de 7 houve no referido povo conselho de guerra, no qual com as devidas formalidades se examinou.. ¿? a causa que thina formado aquelle primeiro chefe contra uns soldados facciosos, chamados los Mamones de Mosqueruela [sic?], acusados. de certos roubos commettidos e outros delictos, pelo que forão condemnados á morte; no amanhecer do dia 8 estavão os réos confessados e promptos para marchar no patibulo, a facção toda formada, e á sua frente o mencionado chefe Llorens, esperando todos ver o mais triste dos espectaculos, quando por ordem do dito chefe se apresentão as armas, rompem.. ¿? os tambores, e sae do alojamento daquelle uma pomposa bandeira que vai collocar-se no centro da facção, sendo a do Batalhão dos chamados Realistas de Villareal, a mesma que levou a Morella em 1833, caladas as caixas fez o dito Alcalde uma oração, e logo em obsequio e por intercessão dos chamados chefes e officiaes, forão os reos perdoados da pena de morte. Assegura-se que a intima amizade que ligava o Alcalde á Serrador.. ¿seia? enfriado muito: o primeiro quer levar tudo com rigor, e não.. ¿passar sem? entrometer-se na provincia de la Plana, e o segundo receia deixar as suas guaridas e povos da montanha, ja tem suas disputas o ha divisão de partidos na facção, ainda que a maioria esta toda pelo joven cabecilha: oxalá o abandona-se,.. ¿? então não teria-mos que teme-la. Parece que.. ¿? o Reino de Valencia, de que Presidente é o referido Alcalde de Villareal. Este rebelde faz muito damno pelas suas maneiras, e é preciso que o Governo attenda a este paiz e destrua promptamente um chefe tão perigoso.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.79, pp.1377-1379. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Abril, 20. Notícies sobre Sant Mateu:

<<Nº.55 VENEZIA, SABBATO 7 MAGGIO 1836.

SPAGNA. [...] Lo stesso giorno la banda di El Serrador, penetrata per sorpresa in San Matteo (Sant Mateu), 20 leghe da Valenza, veniva respinta.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Abril, 21. Més notícies sobre l'augment de les forces carlines, que els arriba per diferents vies.

<<O ECCO, N.º 76. Quinta feira, 21 de Abril. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE FRANCEZES. [...] Ao passo que a Catalunha é infestada por numerosas e intrepidas bandas, perseguidas de perto, mas nunca trazidas a contracto, e o mesmo se observa no Baixo Aragão, Norte de Valencia, Mancha, em varias partes de Castella Velha, da Galliza e brevemente das Asturias, ao passo que estas diversas bandas andão espalhadas por uma vasta extensão do paiz, requerendo uma constante, mas infructifera perseguição, na qual está empenhada uma metade das forças Hespanholas, a insurreição na Navarra apresenta uma massa compacta de 36$ (36.000) homens, um verdadeiro exercito, regularmente organizado e formado em divisões e brigadas [...]

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] No Baixo Aragão ha mais de 8$ (8.000) facciosos, que estão desolando os campos, e arrasando os povos. No Reino de Valencia chegárão até dus leguas da capital.

Idem - Noticias de Valencia. - Cabrera continua reunido em Rubielos com couza de 2.500 Infantes e 250 cavallos, mantendo uma forte avançada em Fuenseca, e dizem que vai reunir-se-lhe Quilez. [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.76, pp.1311 i 1318-1320. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Abril, 27. Més moviments entre el Baix Aragó i el nord del País Valencià. També es parla en el següente número (pàg. 1444) on, entre altres coses, es diu que a Sarrión són afusellats dos veïns. També es parla de Cabrera per Llíria.

<<O ECCO, N.º 82. Quinta feira, 11 de Maio. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. Madrid 4 de Maio. - Valencia 30. Segundo participa o Alcalde de Vivez (Viver? Villel?) na tarde de 27 entrárão em Rubielos (Baixo Aragão), Cabrera, Quilez, e el Organista, com couza de 2$ (2.000) infantes e 300 cavallos, trazendo consigo muito gado [ramat], e tendo levado de Alventosa 4 carros de arroz e bacalhào: porem segundo participa o Governador de Teruel, os sobreditos cabecilhas tinhão saído de Villel (Baixo Aragão), ás 10 da manhã de 27, e en direcção a Ademuz (Castella Nova), e tendo-se separado el Organista com 250 homens, que tomárão para Camarena.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.82, pp.1426-1427. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Abril, 29. Es dónen més notícies sobre Cabrera.

<<O ECCO, N.º 83. Segunda feira, 16 de Maio. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Do Diario Mercantil de Valencia; - As facções.. ¿reunidas? de Cabrera, Quilez e El Organista em numero de 2.500 infantes, e 250 cavallos pernoitárão em Rubielos. As 9 da manhã de 29 sairão de Alcalá (Alcalá de la Selva), caminho de Monteagudo e Allepuz, pedindo facções, com ordem de serem conduzidas a Fortanete em a noute seguinte. Parece que o mesmo Cabecilla trata de fortificar Mora, e nomear-lhe uma Municipalidade em nome de Carlos 5º. [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.83, pp.1446-1447. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Maig, 3. Extracte dels periòdics valencians publicats al "Ecco":

<<O ECCO, N.º 84. Quinta feira, 19 de Maio. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Idem 11. - Dos Periodicos de Valencia: - Ao amanhecer de 3 do corrente entrou em Alcublas (proximidade de Segorbe) o frade Esperanza com a sua facção composta de 400 homens, exigio rações e dinheiro e á 1 da tarde tomou o caminho de Canales (Canals) para Abejuelos (Abejuela). El Serrador officiou á justiça de Matel (Matet?) para que, sob pena de serem tratados como rebeldes, lhe manifestem a paragem das tropas da Rainha, e El Jalvogado [Pascual Navarro, "el Jalvegado"] pedio igual noticia á justicia de Mortan (Montan?). Diz-se que o mesmo Cabecilha se acha em lalceina (la Cénia?) com mui pouca gente. - Em a noute de 3 do corrente chegárão a Jercia (Jérica?) uns 30 facciosos da partida de Tuerto de Liria, os quaes tendo tirado dez cavallos, marcharão pelo caminho de Alcublas. Outra pequena facção, cujo Chefe se ignora, esteve em Alcudia de Veo, levando consigo os moços que encontrou em Eslida; pórem, não tendo achado os do citado povo de Alcudia, levou os pais delles, tomando a direcção de Villamur. - Por conducto bastante seguro se seabe que Serrador tem estado desde o 1.º do corrente em Villa franca (Vilafranca), baixando com poucos dos seus, no dia 3, sobre Bonasal (Benassal), aonde havia alguma gente mais: sua força consta de 2$ (2.000) homens, alguns delles desarmados. - Cabrera ocupa Iglesuela, Cantavieja, e Fortanete, sendo a sua força com a de Quilez de 2$500 homens, pouco mais ou menos distantes entre si (ao S. do Aragão, e ao N. de Valencia). (Abeja)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.84, p.1466. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Maig, 3. Extracte arribats via França:

<<O ECCO, N.º 88. Sexta feira, 3 de Junho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES FRANCEZES. [...] Paris 17 de Maio. - Hespanha. - Saragoça 7 de Maio. - Neste paiz nada se póde fazer contra os Carlistas; porque as nossas tropas carecem e tudo, e apezar de todas as representações feitas áo Governo, este não toma medida alguma. Assim é muito difficil operar contra os Carlistas, que augmentão, e estão arregimentados, armados e fardados. Cabrera está em Rubiêlos (Rubielos de Mora). Torner passou á Catalunha com 23 Infantes e 200 cavallos: cortou 2 pontes para impedir os movimentos do inimigo. Mina impoz uma grande contribuição a Barcelona, o que descontentou muito a toda a gente, e se cre que não voltará mais a esta cidade. Os Urbanos de Saragoça, sabendo que os Carlistas se approximavão á Cidade, deitárão sortes para os batalhões que devião partir, mas nehum dos sorteados quiz partir.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.88, p.1529. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Maig, 8. Més informacions que arriben, amb força retard, sobre el Baix Aragó:

<<O ECCO, N.º 91. Terça feira, 14 de Junho. 1836.

NOTICIAS DO PAQUETE INGLEZ. [...] O seguinte é a copia de um despacho, recebido do Agente Carlista no Baixo Aragão, datado de 8: - "Cabrera tem agora, segundo os mappas officiaes, que tenho á vista, 12$ (12.000) infantes e 700 cavallos. No 1º. do corrente investio Caspe, e impoz grande contribuição de dinheiro, vestuario &c. O rebelde Roten, ainda que em Alcanhiz estava assustado com a aproximação das nossas tropas. Cabrera fortificou Beceite, onde estabeleceo um hospital, uma fabrica de polvora, e uma fundição de Artilheria. Ha poucos dias construio 3 excellentes peças de calibre 8. [...]  Cabrera está completamente senhor, á excepção das Praças fortificadas de todo o Baixo-Aragão, e do districto de Tortosa até Valencia e Cuenca. [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.91, p.1575. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Maig, 10. Una carta des de Saragossa:

<<O ECCO, N.º 85. Terça feira, 24 de Maio. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Saragoça 13. - O General Rotten devia hontem passar revista em Alcanhiz a 4$ (4.000) infantes, incluso o Batalhão de S. Fernando, que ha poucos dias daqui marchou. - A uma legua da ultima cidade, os facciosos capturárão 6$ ovelhas, das manadas preparadas para pagamento das rendas. Dizem que Rotten mandou queimar o povo de Cuevas de Castellote (Las Cuevas de Cañart).

- Valencia 10. - Os cabecilhas Serrador e Cabrera estão fotificando alguns povos do Baixo Aragão para ter nelles os seus armazens de munições e viveres. Assevera-se que o Pretendente enviou a estas provincias um dos chefes da facção de Navarra, para que se encargue do Commando de todas as Divisões, e formalize a guerra, castigando aquelles que commetterem quaesquer excessos.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.85, p.1480. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Maig, 11. Diverses cartes, la primera parla de Cantavieja:

<<O ECCO, N.º 86. Quinta feira, 26 de Maio. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Madrid 18 de Maio. - Castellon (Valencia) 11 de Maio. - A manhã saimos d'esta Cidade em combinação com 2 columnas, que saírão uma hontem, e outra hoje. A nossa marcha é para Canta Vieja (Baixo Aragão na fronteira de Valencia) povo que fortificou o cabecilha Serrador, e que nós confiamos destruir, se os facciosos não o abandonão. A Infanteria Nacional de Valencia fica de guarnição n'esta Cidade, e a cavallaria vem comnosco a tingir (teñir) outra vez as suas lanças com o sangue dos rebeldes. A força das columnas que hão de operar sobre Canta-Vieja (Cantavieja) consta de 4$ (4.000) homens. El Serrador só tem 2.200, e 200 cavallos. ¿como podérão evitar a sua destruiçã?

- Os Cabecilhas Quilez, e Cabrera seguem no Baixo Aragão, procurando recursos por todos os seus povos, e empregando para isso as medidas mais atrozes e violentas. N'estes ultimos dias estabelecê-ão as suas aduanas, e expedírão orden sanguinarias aos alcaides dos povos, nas quaes os ameação com pena ultima, senão conduzem ou mandão conduzir aos lugares que elles designão todas as munições de guerra e boca que possão adquirir no termo das suas respectivas jurisdicções. Alem d'isto estão trabalhando continuamente na fabricação de uns canhões, que felismente lhes tem saido mal todas as vezes que a tem tentado. [...]

- Valencia 13. - As facções reunidas de Cabrera, Quilez, e El Organista entrárão na manhã de 9 em Ababuj, a 8 leguas de Teruel pelo rio Cambra (río Alfambra) [...]

- Idem. - Temos á vista uma carta de Saragoça, datada de 16 em que se lamenta o encarniçamento da guerra no Baixo Aragão, e do augmento que vão por alli tomando os facciosos. Accrescentão por ultimo que se tratava de fortificar naquella capital o ponto chamado Torrero. [sic, ¿?] (Rev. Men.) [...]

- Saragoça 18. - Segundo a participação do Commandante de uma columna Christina do Baixo Aragão, datada de 11 do corrente às 2 e meia da tarde, consta que, sabendo o dito Commandante que os Carlistas tratavão de fortificar Cantavieja, para o que estavão ajuntando materiaes em Ejulbe (Ejulve), se determinou a atacar este ponto, que estava guarnecido pelo denominado 2º Batalhão (Carlista) de Tortosa, e parte da cavallaria de Cabrera, conseguindo a dita columna penetrar no povo, e tomar alguma farinha, trigo e outros objectos, que estavão destinados para o forte.

O mesmo Commandante participa em data de 13, que na entrada do mencionado dia 11, emprehendendo a marcha de Ejulbe (Ejulve) para Alcorrisa (Alcorisa), apparecèrão-lhe todos os montes coroados por gente das facções de Quilez, Serrador, Forcadell, Organista e outros, em numero de 2$500 a 3$ (3.000) infantes e 300 cavallos, os quaes á saída do povo o carregavão em todas as direcções, sendo com tudo sempre repelidos, porem o fogo era tal, e as cargas de Infaneria e Cavalleria se multiplicavão de maneira, que foi precizo voltar parte da força ao povo, ao passo que.. ¿aquelle? General com 30 cavallos sustentava a carga de um Batalhão e 100 cavallos do inimigo, que conseguio desordenar, ainda que com a perda de 4 soldados e 8 cavallos mortos. Continua dizendo, que o seu objecto se limitava naquelles momento a distrair o inimigo, a fim de que a Infanteria se aposerase do povo, o que em parte conseguio, chamando sobre si grande porção das forças inimigas, que o perseguírão por espaço de 2 horas. Os Carlistas atacárão ás 9 da noute o ponto onde se achavão algumas forças da soberdita columna, mas não podérão penetra-lo até que ao romper do dia seguinte se retirárão vindo a columna pora Alcorisa. Calcula a perda dos Carlistas em 60 mortos e 50 feridos, e diz que não póde saber ao certo a sua cauza dos extraviados, sendo a baixa que ha na columna, 3 Officiaes, e 60 ou 70 homens, entre mortos e extraviados.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.86, pp.1493-1494, 1496-1497 i 1499-1500. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Maig, 11. Notícies sobre Sant Mateu:

<<Nº.73 VENEZIA, SABBATO 18 MAGGIO 1836.

SPAGNA. [...] Barcellona 31 maggio. L'Organista che si dicea morto sono due mesi, è testè entrato con 400 uomini ad Ocra (Olba), Rubielos (Rubielos de Mora) ed altre piccole città. Egli annunzia di voler far moschettare i magistrati che fornissero una sola razione al presidio di Mora. La banda di Gil era ultimamente avviata da Canalès (Canals) a Begi (Bejís). --- Cabrera attende indefessamente a fortificare Cantavieja, sito che è una delle basi principali delle sue operazioni. Il giorno 11 egli si scontrò colle truppe cristine a Julve (Ejulve): la mischia che siguì non ebbe grande risultamento. Il 12 eb il 13 ei si volse verso Aliaga, Camarillas ed Ababux (Ababuj). --- Serrador è entrato il 17 a Barracas donde è ripartito l'indomani per Cortes d'Arenaso (Cortes de Arenoso), minacciando il Mijares. --- Palarea è ammalato a Castellon. --- Da tutti questi particolari appare che il regno di Valenza è tuttora corso dalle bande carliste.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Maig, 12. Més notícies de Baix Aragó publicades al Ecco:

<<O ECCO, N.º 87. Segunda feira, 30 de Maio. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Baixo Aragão. - El-Organista, com uma banda de 300 a 400 homens, percorre os povos de Olva (Olba), Rubielos e outros immediados. Em Beji (Bejís) entrárão 5 individius da facção de Gil, e publicárão um bando ara que lhes apreentem armas e cavallos; o resto da facção acha-se em Canales (Canals), prolongando-se até Beji (Bejís). Dizem que El-Organista impoz pena de morte ás Justiças, que fornecerem uma.. ¿? ração á guarnição do forte de Mora (Mora de Rubielos). Dizem tambem que no dia 12 se achavão em Julve (Ejulve) 3$ (3.000) homens nossos, e que d'alí se dirigião a Camarilhas (Camarillas). [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.87, p.1516. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


<<O ECCO, N.º 88. Sexta feira, 3 de Junho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Madrid 24 de Maio - Parece que o Cabecilha El Organista entrou no dia 12 no povo de Tarmiche (Formiche?), julgado de Mora (Baixo Aragão) ao qual mandou apromptar o trimestro de contribuções, prodocto de.. ¿bulas?, e documentos de Policia, debaixo de pena de morte.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.88, p.1530. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Maig, 17. Més notícies de Baix Aragó publicades al Ecco:

<<O ECCO, N.º 87. Segunda feira, 30 de Maio. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Reino de Valencia. - O nosso Exº Capitão General Palarea acha-se doente em Castellon, para onde se retirou afim de restabelecer-se. A banda de Serrador entrou a 17 em Barracas, donde partio para Manzanera, e á 18.. ¿? a Cortes de Arenoso, ameaçando o Mijares. Cabrera continua a fortificar Cantavieja (Baixo Aragão); porem a maior parte da sua força está com Serrador. A banda do frade Esperança foi batida e dispersada pelo Brigadeiro Lopez junto a.. Toro? (el Toro?), caendo em nosso poder 1 faccioso e muita bagagem: a dita banda tornou a reunir-se em Manzanera, onde ião chegando os dispersos em partidas de 20 e 30. (Ext. de D. M. de Val.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.87, p.1516. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Maig, 26. Cantavella i l'Angresola es fortifiquen:

<<O ECCO, N.º 89. Terça feira, 7 de Junho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Idem. - Saragoça 26. - Roten saío de Alcanhiz (Alcañiz), é os facciosos que fortificárão Cantavieja vão fazer o mesmo a la Iglesuela [...]

- As facções de Quilez, Cabrera e El-Organista reunirão-se em Manzanera, sens que se possa idear para onde pertendem ir, pois que tanto ameação a cidade de Albarracin (no Aragão) como Liria (em Valencia). [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.89, pp.1547-1548. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Maig, 27. Moviments del Serrador, Quiles i el Organista (veure també el que surt una mica més amunt al Osservatore Veneziano):

<<O ECCO, N.º 90. Quinta feira, 9 de Junho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Movimento da facção. - A de Quilez caminha na direcção do rio Cella sobre Albarracin. Serrador, tendo saído Rubielos passou pela Puebla de Arenoso, em quanto que El-Organista com 200 homens se dirige a Mora. O General Palarea pernoutou em Barracas em a noute de 27, levando diante de si a facção de Quilez, que se achava em Villel e Jea de Albarracin (Gea de Albarracín).>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.90, p.1563. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Maig, 30. Notícies sobre una carta que arriba amb una mica de retard. El document està en molt mal estat. Al mateix número hi ha un altra carta on es cita Cabrera, que està per Amposta; Serrador, per Sant Mateu, i Badia i Peinado, en el Toro. I torna a paréixer Cantavella.

<<O ECCO, N.º 97. Terça feira, 5 de Julho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES FRANCEZES. [...] Idem 12. - A seguinte carta, de origem liberal, datada de Madrid a 30 de Maio, prova os progressos que tem feito a causa de Carlos 5º nas provincias: - "Em quanto os revolucionarios se fazem uma guerra de pessoas debaixo do pretexto de principios, a insurreição do Aragão e Valencia toma um caracter de tal modo, serio pela sua.. ¿hostilidade?, que dentro de pouco tempo poderá tornar-se mais terrivel do que a da Navarra e Biscaia. Quilez, Cabrera, Serrador e outros, estão á testa de quasi 24$ (24.000) homens [...], organisadas, bem.. ¿? e bem equipados. Elles tanto dominão o paiz, que estabelecêrão nelle um arsenal a coberto de um golpe de mão. Em Canta-Vieja (Cantavieja) fundem a sua artilheria com os metaes dos sinos (campanes) que tirão, antes que M. de Rothschild.. ¿? de la compra por grosso que fez a M. Mendizabal. [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.97, pp.1681-1682. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Juny, 2. Francisco Segarra fa un resum dels regiments d'infanteria i on van actuar:

<<El Regimiento de Infantería Fijo de Ceuta nº 19 participó en el convoy de Sant Mateu a Morella el 25 de febrero de 1835; en la defensa de Cervera en septiembre de 1835; en las acciones de Benassal el 2 de junio de 1836; de guarnición en Sant Mateu en abril de 1837; en la defensa de Sant Mateu el 3 de mayo de 1837; en la acció de Catí el 12 de mayo de 1837, y en el sitio, asalto y retirada de Morella el 15 de agosto de 1838.>> (pàg.277)

[SEGARRA CAPSIR, Francisco (2016): Todas las guerras sufridas en el Maestrazgo histórico. Editorial Antinea. Vinaròs.]


 1836

Juny, 3. En Cantavella sembla que hi havia quatre canyons que va fer fonent campanes de pobles de la zona de València.

<<O ECCO, N.º 88. Sexta feira, 3 de Junho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Reino de Valencia. - De Benaguacil nos dizem que o Cabecilha Cabrera fundio quatro canhões dos sinos (campanes) que tirou nas povoações, collocando-os na fortificação de Cantavieja, onde continuão os trabalhos com actividade. Neste mesmo ovo estào 200 feridos que ainda tem a facção, procedentes da memoravel acção de Chiva. (Abeja.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.88, p.1531. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Juny, 4. Un parell de cartes des de Madrid:

<<Nº.74 VENEZIA, MARTEDI 21 GIUGNO 1836.

SPAGNA. [...] Un carteggio cristino reca quanto segue in data di Madrid 4 giugno: "Si annunzia che il colonnello Valdes è stato battuto in uno scontro colle colonne di Cabrera, Quilez e il Serrador. La perdita delle truppe della regina sarebbe stata, a quel che accertasi, notabile. Il governo, per distruggere il cattivo effetto di questa notizia, e per tranquillare gli spiriti, si è affrettato di dar l'ordine ad una parte del presidio della capitale di recarsi in Arragona (Aragó). Oggi 1,400 uomini di questo presidio sono partiti per la Bassa Arragona (Baix Aragó) ove la loro presenza basterà a rimettere les cose nostre. Il consiglio di allontanar dalla capitale una parte del presidio è la prova migliore della tranquillità in che vi si vive, e della fiducia del sig. Isturitz nelle disposizioni del popolo." [...]

Secondo un' altra lettera, anch' essa di Madrid e del 4, la colonna sorpresa nell' Aragona (Aragó) era composta in parte di 'pezetoros' [peseteros]: 800 uom. rimasero prigioni; gli altri furono fatti a pezzi: 47 ufficiali sarebbero stati moschettati. I carlisti erano 3,000 fanti e 400 cavalli.

--- Cabrera è uno di que' generali che fanno nascere e colgono all' improvviso le opportunità. Nato a Tortosa nel 1812, da una famiglia agiata, che il destinava alla carriera ecclesiastica, per farlo godere di un benefizio patrimoniale, egli ne compiva gli studii speciali, quando la provincia di Valenza proclamò Carlo V, e stabilì una giunta de governo a Morella. Cabrera fu uno de' primi a presentarsi qual semplice volontario, all' infelice barone d'Hervè (baró d'Herbés). I talenti, l'operosità ed il coraggio del giovine volontario l'hanno poscia attorniato di bande crescintesi a segno di formare oggigiorno un esercito che ispira vive inquietudini ai cristini.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Juny, 5. Més informacions.

<<O ECCO, N.º 93. Segunda feira, 20 de Junho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Idem 10. - Valencia. - O Commandante da 1ª Columna de operações na Provincia de Castellon de la Plana participa, em data de 5, da Cidade deste nome, ás 8 e meia da noute, que acabava de chegar alí depois de ter dado uma lição á facção de Serrador; que com 2$ (2.000) infantes, e 250 cavallos, ossou provocar os seus bravos, apoiada nas formidaveis posições das aturas de Borriol, não muito distante da dita Cidade de Castellon.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.93, p.1611. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Juny, 8. Més informacions.

<<O ECCO, N.º 93. Segunda feira, 20 de Junho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Saragosa 8. - Quilez saio de Aliaga com 800 dos prisioneiros de Bañou (Bañón?) para Cantavieja. O Sr. General Roten achava-se em Hijar.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.93, p.1611. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Juny, 9. Més informacions.

<<O ECCO, N.º 95. Terça feira, 28 de Junho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES FRANCEZES. [...] Idem 9. - O partido de Carlos V. em Valencia compoem-se já de mais de 24$ (24.000) homens em armas, bem organisados, arregimentados, e tendo 1$homens de cavallaria perfeitamente montados; o seu Arsenal de armas está tranquillamente establecido em Ganta-Vieja (Cantavieja). O Capitão General do Rei nesta Provincia é o Marechal de Campo Cabrera, joven de 25 annos, que acaba de ser condecorado com a Grão Cruz de S. Fernando, por occasião da ultima derrota e Palarea. Cabrera tem debaixo das suas ordens os Generaes de Divisão Serrador, Quilez, Frade Esperanza, Alcalde e outros chefes de banda; o seu intento é extender-se sobre Albacete, e Alicante, para se dirigir sobre a Mancha, pelo lado de Ocanha isolando por este meio a Cidade de madrid da Andaluzia e de todo o Meiodia, hoje completamente desguarnecido de tropas Christinas.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.95, p.1644. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Maig, 13. Més notícies:

<<Nº.80 VENEZIA, MARTEDI 5 LUGLIO 1836.

SPAGNA. [...] Il giorno 13 tre o quatro mila uomini comandati da Quilez, Esperanza e Forcadel, hanno sorpresa la città di Turiz (Torís), cinque leghe presso Valenza. I carlisti occupavano poco stante Quinol (Buñol?), ed atre città e terre vicine. El Serrador ha preso la città e forte di Alcala de Ghisbert (Alcalà de Xivert): il forte si arrese per capitolazione.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Juny, 15. Continua.

<<O ECCO, N.º 96. Quinta feira, 30 de Junho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Idem. - Valencia 15. - O Coronel Cánovas participa de Torreblanca que á 8 da noute de 11 do corrente se rondeo o forte de Alcalá de Chisbert [Alcalà de Xivert] (situado quasi á beira mar, na costa septentrional de Valencia) com a sua guarnição, inclusos os 12 homens que se achavão no campanario. Attribue-se esta perda á falta do seu commandante Villaroig, o qual tendo viveres e munições de sobejo (sobres) para defender o posto, não o verificou. Culpa-se tambem o sargento Vidal, ex-faccioso, o qual com outros voluntarios tambem facciosos, naturaes de Alcalá, abandonárão os decididos, passando a unir-se aos malvados. (La Ley.) [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.96, p.1663. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Juny, 14. Més informacions.

<<O ECCO, N.º 95. Terça feira, 28 de Junho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Valencia 14. - Sabemos de positivo que muitas corporações e authoridaes vão representar a S. M., pintando-lhe o estado da nossa provincia, e fazendo-lhe ver a urgentissima necessidade de que se nos enviem alguns milhares de homens para conter as invasões dos facciosos. Pela nossa parte tambem pedimos o mesmo, advertindo que se o governo se fizer sordo aos nossos clamores, e não atalhar os nossos males, mui de pressa esta provincia será outra Navarra, tão difficil de comquistar, como a do Norte de Hespanha. - Assevera-se que o nosso capitão general D. Juan Pelarea deo a sua demissão, bem como que o cabecilha Serrador entrou em Alcalá de Gisvert (Alcalà de Xivert), passando pelas armas a toda a sua guarnição. - As nossas communicações com a Corte estão continuamente interrompidas por cauza de ter occupado os facciosos a estrada por onde tranzita o correio. (Espanhol.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.95, p.1646. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


1836

Juny, 18. En un llibre anònim sobre les guerres carlistes a Catalunya, llegim també algunes coses que ens passen a prop:

<<Iriarte regresaba desde Vinaroz a pernoctar en Ulldecona sin tener noticia alguna de as gruesas huestes de Cabrera y Quílez, y solo si que la de Serrador se encontraba hacia Calig. En la madrugada del 18, como el camino de Uldecona hasta los altos de Freginals o cerros de la Cruz es una vega entre dos cerros, poco accesible, de dos horas y media, por la que tenía que pasar hacia Tortosa, trató antes de emprenderla de hacer un reconocimiento. Encontró tomadas ya las alturas del castillo, y que se iban corriendo hacia las otras que dominan por la izquierda el camino que debia seguir; y como a causa de la pieza que traía a la rastra, no podía dejar la carretera, dió la orden e marcha a la brigada que estaba formada en el pueblo.>> (pàg.138)

[TEATRO DE LA GUERRA: Cabrera, los montemolinistas y republicanos en Cataluña. Crónica de nuestros días, por un testigo ocular de los acontecimientos. Imprenta de D. B. González, calle de la Hortaleza, 89. Madrid (1849).]  books.google.es


 1836

Juny, 21. Continua amb alguns combats prop de Castelló.

<<O ECCO, N.º 96. Quinta feira, 30 de Junho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Idem. - Segundo uma carta de Valencia, datada de 21, as facções daquella provincia e Baixo Aragão continuão fazendo as suas correrias. Serrador esteve ultimamente nas immediações da cidade de Segorbe, e os outros cabecilhas achão-se em Navajas, Bechi (Betxí) e Onda, nas vizinhanças de Castellon de la Plana. A povoação de Torre Blanca (Torreblanca) (2 leguas ao S. de Alcalá de Chisbert [Alcalà de Xivert]) foi tambem tomada por Serrador, e o forte, guarnecido por uns 50 homens de tropa, e algumas praças da Guarda nacional, teve que capitular.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.96, p.1664. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


<<Nº.81 VENEZIA, GIOVEDI 7 LUGLIO 1836.

SPAGNA. [...] La notizia della vittoria riportata dai carlisti nella seconda giornata di fazione seguita a San Quire della Bassola (Sant Quirze de Besora, Osona) in Catalogna, è oggi pienamente confermata (Vedi il nosso numero preced.); confermata è parimenti la sorpresa fatta da El serrador a danno del corpo di Canovas presso Castellon de la Plana. [...]>>

<<Nº.85 VENEZIA, SABBATO 16 LUGLIO 1836.

SPAGNA. [...] Cabrera ha testè presa la città di Castellon de la Plana (popolata di 40m. anime), a dieci leghe da Valenza.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Juny, 23. En un altre número del diari Ecco es donan unes quantes dades:

<<O ECCO, N.º 98. Quinta feira, 7 de Julho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] No dia 21 chegárão a Tenuel (Teruel) 3$500 infantes e 500 cavallos (Christinos); a 23 saío Quilez de Rubielos com direcção a Cantavieja. (Diario Mercantil) [...]

Valencia 28. - Em a noute do 24 chegou El Organista a Rubielos com  3 a 400 homens, e ali permanecia ás 9 da manhã seguinte Quilez passou para Linhares (Linares de Mora) (Baixo Aragão) e Peinado para Torrijos (próximo á provincia de Cuenca). As tropas (Christinas), que saírão de Teruel para Mora e Vilabona (Valbona?), regressárão á dita cidade a 24. Cabrera fez correr uma circular datada de Ulldecona em 22 do corrente, impondo pena de morte ás justiças dos povos até Vall de Almonacid, distante duas leguas de Segorbe, que não lhe dessem noticia da paragem, movimentos e posições das nossas columnas, e ordena que os mesmos avisos lhe sejão dirigidos, ganhando horas, a Calix (Càlig), onde se achava. - O Commandante geral Grases estava na tarde de 26 em Alcora (Valencia) para marchar sobre as facções de Serrador, que tinha entrado, a 25, em Adsaneta (Atzeneta). - Cabrera saío, ao amanhecer de 25, de Cenia (la Sénia), e parece que destacou parte da sua facção para reforçar a de Quilez, que se achava em Rubielos, ameaçado pelas forças de Teruel. (D. Mercantil.) [...]

- Vinaroz (Reino de Valencia) 22 de Junho. - Segundo uma carta desta villa, dirigindo-se o Coronel Iriarte, commandante da 5ª Brigada da Catalunha, de Uldecona (Ulldecona) para Tortosa, com 1$500 homens e 1 peça, foi accomettido de repente pelos cabecilhas Cabrera, Forcadell e outros com a força de 5$ (5.000) infantes, e 400 cavallos, devendo-se á pericia daquelle Chefe não ficar toda a columan destruida, durante a retirada que fez para Amposta. "A perda do inimigo deve ter sido de consideração, ainda que mui difficil de averiguar pelos meios de que se valem sempre para occulta-la. A nossa cauza-nos a maior dor ... Cem mortos, entre elles 2 capitães, e 5 subalternos, com duas companhias de atiradores extraviadas, cuja paragem ainda a estas horas ignoramos, foi o resultado de uma retirada de 4 horas por um terreno sempre montanhoso e escabrosissimo, continuamente entre dous ou tres fogos, e tendo d'ante mão os inimigos tomando os pontos vantajosos, por onde necessariamente devia passar a nossa columna. - Isto é facto, este o verdadeiro estado do nosso paiz e de nenhum modo o que com fogueiras côres nos pinta o Liberal de 17. Nem um só faccioso se apresenta ao indulto, observamos sim que se tem engrossado as suas fileiras; graças ao nenhum cuidado, que até agora tem havido para o exterminio da farcção; o feroz Cabrera commette as maiores tropelias, e neste instante se estão conduzindo por sua ordem a Rosele (Rossell?) as colheitas de trigo pertencentes nos liberaes de Alcanar e Uldecona (Ulldecona), residentes nesta villa." (Espanhol.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.98, pp.1702-1704. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


<<O ECCO, N.º 100. Quinta feira, 14 de Julho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Valencia 30 de Junho. [...] Forcadell acha-se em Rosell (alta Valencia) fazendo segar os trigos, e conduzillos aos portos. [...]

Idem. - De Ulldecona, com data de 26 de Junho, nos dirigem o seguinte estado das forças de que constão todas as facções do Baixo Aragão, e Leste de Valencia: - Cabrera, denominado general em chefe de todos os facciosos, com o titulo de Marechal de Campo, tem á sua immediata disposição, mais de 5$ (5.000) infantes e 500 cavallos, e Quilez, intitulado Brigadeiro 3$300 infantes e 300 cavallos. El Organista traz comsigo a força de 1$ infantes e 100 cavallos. Serrador, intitulado Coronel effectivo, tem ás suas ordens 3$ (3.000) infantes e 250 cavallos. O frade Esperanza denomina-se commandante de 500 infantes e 30 cavallos. Total 13$ infantes e 1$180 cavallos.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.100, p.1741 i 1743. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


<<O ECCO, N.º 103. Terça feira, 26 de Julho. 1836.

NOTICIAS DO PAQUETE INGLEZ. [...] No dia 23 Serrador tomou Alcalá, e Quilez Torreblanca, entregando-se as guarnições como prisioneiras de guerra. Durante o mes passado, Cabrera, e seus chefes, tomárão Turis, Vall de Uxo, Vajas (Bejís?), Bunol (Buñol), Altara (Altura), Navajas, Vivel (Viver), Xerica, Onda, e Segorbe.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.2, Nº.103, p.1773. (9 volums, 488 diaris) Vol.2: babel.hathitrust.org


 1836

Juliol, 1. Informacions de les nostres comarques veïnes del nord.

<<O ECCO, N.º 101. Terça feira, 18 de Julho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Com data de 1º do corrente dizem de Tortosa (Catalunha) o seguinte: - "A facção de Cabrera, Llangostera, e magia, em numero de uns 2$ (2.000) homens voltou ás immediações de Gandesa, e no dia 30 do passado achavão-se em Mora do Ebro com motivo de ter-se retirado os Generaes (Christinos) Rotten para o Baixo Aragão, e Breton para o campo de Tarragona. O Cabecilhas Forcadell continua na linha de Rosell e la Cênia (la Sénia), fazendo a colheita. [...]

Idem. - Baixo Aragão. - Os faciosos estão fortificando Beceite, e confiscárão os bens de todos os que se retírão dos paizes que elles ocupão, de maneira que sairão a recolher todos os fructos para almazena-los. De nada serve expressar clamores que aqui se ouvem, per cauza dos poucos progressos que fazem as nossas columnas: em Teruel estão 6$ (6.000) homens a morrer de sarna e peste em razão da pouca ventilação.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.101, pp.1749-1751. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Juliol, 6-7. Llegim en el diari "El Nacional":

<<El Español, N.º 263. Miércoles, 20 de Julio. 1836.

(Del Diario mercantil de Valencia). MOVIMIENTOS DE LA FACCIÓN.

El Organista parece que se ha retirado hacia Rubielos. La facciónde Carné y Esperanza salió ayer mañana 12 hacia Chelva. De Orta se llevó el cabecilla Magín doce cargas de escalas de asalto, a dos por carga, de quince escalones cada una.

A las diez de la mañana del 10 pasó por los olivares inmediatos a San Mateo y con dirección a la Salsadella, la facción del Serrador, que venía de Traiguera. Algunos facciosos se aproximaron, ocultándose tras los olivos y dispararon algunos tiros, a los que se les correspondió. A las tres de la tarde del mismo día salió para las Cuevas, cometiendo los mayores excesos y devastando el país con el acopio de granos que está haciendo Forcadell, que había pasado el 6, de Portell a Mirambell; al día siguiente regresó de este pueblo a Portell.

Con referencia a noticia de testigo ocular, se sabe que la fuerza que llevaba el general Montes, cuando fue hacia Tronchón, era de 9.000 hombres.

La mañana del 12 llegó el brigadier Grasses a Vinaroz con el objeto de reunir su brigada con la del coronel Iriarte y seguir en persecución del Serrador. [...]>>

[EL ESPAÑOL. Diario de las Doctrinas y de los Intereses Sociales. Madrid. Nº.263, pàg.1] hemerotecadigital.bne.es; també en prensahistorica.mcu.es


 1836

Juliol, 6-7. Llegim en el diari "El Nacional":

<<El Español, N.º 263. Miércoles, 20 de Julio. 1836.

(Del Diario mercantil de Valencia). MOVIMIENTOS DE LA FACCIÓN. "El Organista" parece que se ha retirado hacia Rubielos. La facción de Carné y Esperanza salió ayer mañana 12 hacia Chelva. De Orta se llevó el cabecilla Magin doce cargas de escalas de asalto, a dos por carga, de quince escalones cada una.

A las diez de la mañana del 10 pasó por los olivares inmediatos a San Mateo y con dirección a la Salsadella, la facción del Serrador, que venía de Traiguera. Algunos facciosos se aproximaron, ocultándose tras los olivos y dispararon algunos tiros, a los que se les correspondió. A las tres de la tarde del mismo día salió para las Cuevas, cometiendo los mayores excesos y devastando el país con el acopio de granos que está haciendo Forcadell, que había pasado el 6, de Portell a Mirambell; al día siguiente regresó de este pueblo a Portell.

Con referencia a noticia de testigo ocular, se sabe que la fuerza que llevaba el general Montes, cuando fue hacia Tronchón, era de 9.000 hombres.

La mañana del 12 llegó el brigadier Grasses a Vinaroz con el objeto de reunir su brigada con la del coronel Iriarte y seguir en persecución del Serrador [...]>>

EL ESPAÑOL. Diario de las Doctrinas y de los Intereses Sociales. Madrid. Nº.263, pàg.1: hemerotecadigital.bne.es


 1836

Juliol, 7.  Entre Castelló i Terol.

<<O ECCO, N.º 102. Quinta feira, 21 de Julho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Idem. - Os cabecilhas Organista [Vicente Herrero, "el Organista", de Gea de Albarracín], Badia [José Badía, de Cortes de Arenoso] e Jalvegado [Pascual Navarro, "el Jalvegado", de la Puebla de Arenoso], entrárão com as suas bandas, em numero de 500 infantes e 60 cavallos, em a villa de Jerica, 11 leguas ao N. de Valencia, donde levárão alguns cavallos, 4$520 reales em dinheiro, e em farinha, bacalhao, e outros effeitos até completar com a anterior a somma de 8$ (8.000) reales. Os mesmos cabecilhas dirigirão-se depois ás immediações de Viver, donde tirárão mais cavallos e muares. A praça de Morella, ao Norte do Reino de Valencia, acha se bloqueada pelos Carlistas, os quaes castigão rigorosamente, os que levão viveres á guarnição e habitantes. Cabrera entrou no dia 2 e ma villa de Cherta, districto de Tortosa, na Catalunha. Serrador dirigio-se a Alcalá, onde tinha pedido 4$ rações, e.. ¿reocia-se? que se adiante para Benicarló, na costa. Quilez entrou, com a sua columna, no dia 7, em Ruvielos (Rubielos de Mora), Baixo Aragão.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.102, p.1768. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Juliol, 7. El mateix dia, al sud de Catalunya:

<<O ECCO, N.º 104. Quinta feira, 28 de Julho. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. Madrid 20 de Julho. - Valencia. - O cabecilha Magin levou de Orta 12 cargas de escadas de asalto. - Depois de retirar-se Cabrera de Mora do Ebro, e immediaçõe de Gandesa (na Catalunha), tornou, no dia 7, a atacar aquella villa [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.102, p.1768. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Juliol, 9. Més notícies:

<<Nº.91 VENEZIA, SABBATO 30 LUGLIO 1836.

SPAGNA. [...] Il 9 del corrente mese i generali cristini Roten e Montès sono partiti da Caspe e da Castel Terrano (Castelserás?), con 10m. o 12m. uomini che poterono mettere insieme, per l'Alta Aragona, ed hanno lasciato in potere dei carlisti tutta la parte inferiore della provincia. La cagione di questo movimento si è la diserzione notabile che già si mostrava fra le loro truppe. Lo stesso giorno 9 Quilez era a Mediana, quattro legue presso a Saragossa con 6,000 fanti e 300 uomini a cavallo; Cabrera poi si trovava a Gaudaza (Gandesa) con 10,000 uomini di fanteria ed 800 di cavalleria.

--- Una lettera di Saragossa del 12 reca: "Da tre giorni noi vediamo arrivar qui moltissime famiglie liberali che temono più ancora gli orribili eccessi del barbaro Roten che le vittorie delle truppe carliste. Queste famiglie fanno il più lagrimevole quadro dello stato di miseria a cui il generale cristino ha ridotto la città di Alcagniz (Alcañiz) e tutte quelle in cui l'autorità della regina è tuttora riconosciuta.

In questo momento i carlisti battono con artiglieria il forte di Gandera (Gandesa). Due parlamentarii mandati el 6 di questo mese da Cabrera a Montalbano (Montalbán) furono fatti a pezzi dalle guardie nazionali, e le loro membra palpitanti trascinate per le vie. A questa nuova Cabrera non potendo contenere la sua indegnazione, si avanzò contro Montalbano; ma al momento dell' attaco, i cristini aveano avuto l'avvedimento di collocare davanti alle lor batterie preti, donne, fanciulli e tutti i realisti che aveano potuto ghermire: questo inaspettato ripiego sforzò Cabrera a ritirarsi in quel momento; ma non tardò a tornare improvviso, s'impadronì della città e l'arse quasi tutta, non risparmiando che la contrada Daroca.Il forte d'Alcariza (Alcorisa) e quello di Torreveilla (Torrevelilla) sono caduti in potere di Cabrera. Quest' ultimo è situato ad una lega soltando da Alcagniz (Alcañiz), quartier generale delle truppe cristine.

Tostochè l'infaticabile Cabrera ebbe la certezza che il generale Montès avanzavasi verso Cantavieja con 5m. uomini per assalire i carlisti, diesde ordine a Quilez di andargli incontro con 4m. Il combattimento non fu lungo: al primo scontro i coscritti cristini diedero indietro ie si sbandarono. Tutti gli sforzi del generale per raccozzarli furono vani, e questi infelici strappati por ora dalla rivoluzione alle loro famiglie, non hanno potuto reggere un quarto d'ora ontro le truppe agguerrite di Quilez, che ne fecero più di mille prigioni, e lor prese una quantità grande di armi, di munizioni, e di provvisioni d'ogni specie.">>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Juliol, 14. Carta des de Baiona, França:

<<Nº.93 VENEZIA, SABBATO 4 AGOSTO 1836.

SPAGNA. [...] Baiona 14 luglio. [...] Incerte parimenti sono le nuove dell' Aragona (Aragó): l'esercito cristino del centro che si vuole raccorre in quella provincia e nella Valenza (València) e debbe essere comandato dal generale Montès, è tuttavia disegno senza esecuzione. Frattanto Cabrera, e Quilez sono padroni del paese e comandano, non più a bande, ma a veri eserciti. Cabrera, le cui forze totali si fanno oggi ascenere a 25 milia combattenti, ha pur ora sorpreso a Menroyo (Mont-roig) una colonna cristina di 1,000 uomini e ne presse 400; Quilez attacava nel medesimo tempo montes, e gli toglieva 1000 uomini prigionieri. Mina è a Barcellona ove si dice ammalato: l'esito delle elezioni non tarderà, probabilmente, a rimetterlo in movimento.">>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Juliol, 17. Un parell de cartes des de Sogorb, que parlen del carlí vilafranquí, el Serrador:

<<Nº.95 VENEZIA, MARTEDI 9 AGOSTO 1836.

SPAGNA. [...] Una lettera di Segorbe reca: --- "Un corriere straordinario ha apportato il dispaccio seguente del capitan generale delle provincie di Valenza e Murcia: "Questa mattina (17) io ho sorpresa la fazione di El Serrador, composta di 2,400 fanti e 200 cavalli, nelle vicinanze di Soneja, che era stata in modo orribile incendiata e saccheggiata: trecento predatori hanno pagato colla vita quest eccesso. Tutto il bagaglio è caduto in nostro potere, ed i nemici in piena rotta, sono stati inseguiti dalle valorose nostre truppe sino a Wal de Amonacid (Vall de Almonacid). Domani vi manderò i particolari. --- Segorbe, 17 luglio 1836. Firm. José Grasses."

Una seconda lettera di Segorbe dice: --- "La brigate del marchese de Villacampo e di de Grasses, unitesi la notte del 17, si sono poste in campagna il giorno appresso, coll' intenzione di assalire Cabrera e Quilez, i quali mostravano di voler volgersi sull' Horta: ma la disfatta del Serrador e le mosso delle brigate predette hanno costretto que' capi a ripassate il Mejares (Mijares), e a indietreggiare, la sera del 17, verso Alcara (Alcora).">>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Juliol, 18. Cabrera ocupa Almassora i Vila-real:

<<O ECCO, N.º 106. Quinta feira, 4 de Agosto. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Valencia. - Na manhã de 18 occupou Cabrera Almazora e Villareal (Vila-real), estendendo as avançadas até á Cidade de Castellon, de cujos arredores alguns lanceiros seus levárão cavallos, commettendo os seus constumados excessos. - Quilez com 3$ (3.000) infantes e 250 cavallos, marchou no dia 20 de Begis (Begís) por Alcublas a Villar del Arzobispo, onde esteve todo o dia, e se proporcionou calçado que não tinha: logo se dirigio ao campo de Liria (Llíria), donde passou a Pedralba. - Conseguírão os facciosos o que dezejavão, entrando na noute de 22, e tirando immersos recursos de muitos povos ricos da nossa ribeira, taes como Montroy Real (Real de Montroi), Monserrate (Montserrat), Llombai, Catadau, e segundo alguns, Alcudia e Alberique. No mesmo dia entrou o frade Esperanza com uns 1$ (1.000) infantes e 200 cavallos na villa de Cheste, 5 leguas ao poente da Cidade de Valencia.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.106, p.1828. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Juliol, 19. Més notícies:

<<Nº.93 VENEZIA, SABBATO 4 AGOSTO 1836.

SPAGNA. [...] Cabrera trobasi col grosso della sua divisione nelle vicinanze di Gandesa, sito assai ragguardevole dell' Aragona Bassa (Baix Aragó). Altri avvisi recano che il 19 egli assediava Murviedro (Sagunt).

Dal loro canto i cristini hanno la loro divisione principale ad Acqua Viva (Aiguaviva), ove il generale Montes, designato a comandante dell' esercito del centro, aveva ricevuto il rinforzo di una brigata staccata dall' esercito di Cordova, e vi teneva il suo quartiere generale.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Juliol, 20. Sobre comandaments carlins:

<<O ECCO, N.º 105. Terça feira, 2 de Agosto. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Saragoça 20.As ultimas communicações do Baixo Aragão nos participão que Puertolas, Coronel que foi do Exercito, homem de pretigio naquelle paiz, foi nomeado Commandante Geral, ficando Cabrera seu immediato. - Majin (Carlista) ficá Governador de Cantavieja: é um homem feroz, esteve preso nesta cidade 16 mezes, e antes disso ja pezavão sobre os seus hombros 8 mortes. - Puertolas foi companheiro de Capapé, e em seguida, em 1823, Governador de Teruel; ambos se sublevárão ultimamente no barco que os transportava a Gibraltar, reunindo-se depois á facção. [...]

Idem 24. - O Capitão General do Aragão, com data de 20, diz que o Governador de Daroca dá parte de achar-se Quilez e Puertolas, a 16, em Villarluengo, donde exgirão grande quantidade de cereaes a Julve (Ejulve).>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.105, pp.1809 i 1811. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


<<Nº.108 e 109 VENEZIA, GIOVEDI e SABBATO 8 e 10 SETTEMBRE 1836.

SPAGNA. [...] Il Journal de Paris del 31 annunzia che la divisione Soria, dell' esercito del centro, ha battuto, essa, a Villarluengo, le ande unite di Quilez, Cabrera e Focadell. I carlisti avrebbero avuto un numero grandissimo d'uomini posti fuori di combattimento, e lasciato in mano dei vincitori 5,000 fucili, 500 cavalli e munizioni. Questa notizia è tratta, a quanto ci pare, dai giornali di Madrid del 19 e del 20.

Troviamo all' incontro in un foglio della frontiera, del 30, che "una lettera di Sarragossa del 23, conferma la vittoria di Cabrera, e che fra i molti prigioni caduti in potere de' carlisti, v' erano 40 chapelgorri, i quali furono subito moschettati. La fazione seguì nelle vicinanze di Cantavieja.".>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Juliol, 23. Trobem escrit el nom que els Borbons li van donar a Xàtiva després de la guerra de successió. Li van posar el nom de "San Felipe" (o Nueva Colonia de San Felipe). Va ser allà pel 1707. En el mateix diari i el següent, també es cita Beseit un parell de cops, que no transcribim.

<<O ECCO, N.º 106. Quinta feira, 4 de Agosto. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Idem 29 - Valencia. - Depois do.. ¿ataque? de Alberique (Alberic), e queima da barca d'El Rei [barca per creuar el riu Xúquer entre Alberic i Vilanova de Castelló] dirigio-se a facção das 10 para as 11 de 23 a Villanueva de Castellon (Castelló de la Ribera), onde fez o mesmo, dirigindo-se logo a S. Filippe (Xàtiva) onde entrou das 6 para as 7 da tarde.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.106, p.1828. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


<<O ECCO, N.º 108. Quinta feira, 11 de Agosto. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Idem 3 de Agosto. - Valencia 26 de Julho. - Por participação official consta, que a facção de Quilez se achava, na manhã de 25, formada na praça de Beniganim (ao Sul d'este Reino), onde publicou um bando, para que lhe apresentassem todas os cavalgaduras, debaixo de pena de morte. Parece que suas visitas se dirigem a Alcoy (5 Leguas ao Sul de Beniganim, na provincia de Alicante). De S. Filippe (Xàtiva) forão com elles mais de 100 homens, e ainda na manhã de 25, lhes enviavão as espingardas, que ião recolhendo. - Idem 27. - Os facciosos, em numero de 30 ou 40 infantes e 8 cavallos, estiverão na noute de 26, nos povos de Godella (donde levárão 18 cavallos e armas), Rocafort, Benisanó, e Puebla de Vallbona, a pouca distancia desta capital.

- O Brigadeiro marquez de Vilacampo, commandante da 2ª divisão do Exercito do centro, que opéra no Aragão e Valencia, em officio datado, em 27, de S. Filippe de Játiva (Xàtiva), dia que alcançou a facção de Quilez em Albaida (Provincia de Alicante), na occasião em que a mesma ia a sair d'ali, e tinha ja em marcha a sua cavallaria e equipagens; mas que a promptidão com que elle entrou, fez com que perecessem muitos infantes, que resistirão do interior das cazas. Seguindo o Provincial do Lorca o inimigo, este o involveo, matando-lhe o Coronel e o Ajudante, e levando-o diante de si até o povo, onde se refugiou a divisão, soffrendo até as 10 da noute o fogo do inimigo, no calor do qual morreo o Chefe d'Estado Maior. Diz que estava indagando quem mandou retirar as bagagens, produzindo por este meio grande escandalo nos povos. O 1º batalhão da Rainha, que tinha sido destinado a flanquear o inimigo, retirou-se a Adzaneta, e incorporou-se naquella manhã á divisão, sem ter soffrido perda. As 10 da noute, retirárão-se os facciosos, sem que as tropas os podessem perseguir. Calcula a perda do inimigo em couza de 300 homens, incluido 12 prisioneiros, e a d'elle diz que fora insignificante. [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.108, pp.1860-1861. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


<<Nº.95 VENEZIA, MARTEDI 9 AGOSTO 1836.

SPAGNA. [...] Le notizie che si hanno di El Serrador, Cabrera, Quilez, son quelle contenute nei seguenti avvisi dai confini di Cataogna: Gli avvisi più recenti di Barcellona sono del 30 di luglio. Il giorno 23, dicono questi avvisi, le truppe di D. Carlos, dopo d'aver saccheggiato Alberique (Alberic) ed incendiata la barca di El Rey (per creuar el Xúquer) si avviarono fra le nove e le dieci del mattino verso Villanueva de Castellon (Castelló de la Ribera) a cui toccò la stessa sorte e donde procedettero verso San Felipe (Xàtiva) ove dovettero entrare alle sette della sera.

La matina seguente, esse occuparono la città di Carcagente (Carcaixent), spingendo la loro vanguardia sino al ponte del sobborgo di Alcira (Alzira), da cui ebbe poi a ritirarsi sino a Puebla Larga (la Pobla Llarga). Una colonna di queste medesime truppe era in moto per impadronirsi della Sierra de Enguera. Si sa che il frate Esperança si trova nelle vicinanze di Siete Aguas nel Vallesa (¿?).

El Serrador era el 24 alla Puebla de Arenoso, conservandovi le vantaggiose sue positure. Cabrera occupa il piano di Castellon, tutti i villaggi del Maestrazgo e del governo di Morella, non meno che la strada maestra di Catalogna.

Il capo Quilez, con una colonna di 3,000 uomini, ha fatto una scorreria dalle Bassa Aragona (Baix Aragó) in que, passando per Segorbe, Liria, Montroy, tutta la Bassa Riviera, tragittando il Jucar (Xúquer), di cui arse le barche; penetrando in San Filipe (Xàtiva) y Carcaquite (Carcaixent?), tragittando verso Alcoy donde si estese con una velocità straordinaria a Godella, Rocafort e in tutte le vicinanze di Valenza, minacciando persino di penetrare nei sobborghi di essa. [i continua...]>>

<<Nº.100 VENEZIA, SABBATO 20 AGOSTO 1836.

SPAGNA. [...] Leggesi nel messagero: "Il regno di Valenza trovasi in grandissima apprensione. Quilez e il frate Esperanza hanno passato il Jucar (riu Xúquer) ed hanno occupato i villaggi di Alcira (Alzira), Cariagenta (Carcaixent), Mogente (Moixent), Alberique (Alberic) e molte altre ville vicine. Le squadriglie che comandano si sono abbandonate a gravissimi eccessi contro le popolazioni. [...]">>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Juliol, 27:

<<Nº.101 VENEZIA, MARTEDI 23 AGOSTO 1836.

SPAGNA. [...] Una colonna di Cabrera si mosse il 27 p. p. ela Pegnaroya (Pena-roja), per Becete (Beseit), verso Castelveras (Castelserás). I cristini non edivano assalirla.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Agost, 2. Sobre el reclutament dels carlins per les nostres terres.

<<O ECCO, N.º 110. Quinta feira, 18 de Agosto. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES FRANCEZES. [...] - Tudo se tem deixado ao acaso, e a conflagração a si mesma; os Generaes operão como melhor podem, sem recursos, nem paga para as suas tropas, de maneira que se vêm obrigados a extorquir tudo aos habitantes, que á vista disto não conhecem differença entre as tropas carlistas e Christinas. Cabrera, Quilez, e Serrador, cada um á testa de 5 ou 6$ (5 o 6.000) homens, occupão e percorrem em todas as direcções o extenso territorio entre Segorbe, ao Norte de Valencia, Teruel, Albarrazin, Daroca, Alcaniz, o Ebro, e o Mar. Está reunindo-se um exercito contra elles, denominado do Centro. [...]

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Reino de Valencia. - O Governador de Castellon de la Plana diz, com data de 2 do corrente: "Os rebeldes querem sem duvida fazer extensivo o recrutamento a todos os povos desta provincia, para cujo fim correm pelos deste districto unas circulares iguaes ás que na minha communicação de hontem tive a honra de remetter por copia a V. Ex.ª.">>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.110, pp.1888-1890. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Agost, 4. Notícies del Baix Aragó. També es citen altres cartes des de València, que no transcribim.

<<O ECCO, N.º 110. Quinta feira, 18 de Agosto. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Idem 12 - Baixo Aragão. - O General Montes, comandante do Exercito do Centro, remette a parte que lhe dirigio o Marechal de Campo D. Manoel de Soria, datada de Fortanete em 4 do corrente, dizendo que tinha atacado, com a 1ª divisão do seu commando, a facção de Quilez, que estava naquelle povo, donde a fizera sair precipitadamente, procurando a mesma salvar-se nos difficeis caminhos que conduzem a Cantavieja.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.110, p.1894. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Agost, 7. Una carta on parla de Cantavella i ens dóna pistes de la seva fortificació; i també una celebració "amb bous". Potser sí que la tradició taurina de Cantavella vinga de lluny..

<<O ECCO, N.º 111. Terça feira, 23 de Agosto. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Valencia 7 e 8. - A brigada de cavalgaduras carregadas com os objectos, que Quilez colligio na sua ultima excursão até a provincia de Alicante, entrou a salvo em Cantavieja. Esta villa acha-se seguramente fortificada, com fossos aquaticos, pontes levadiças &c. A guarnição carlista consta de 500 homens, e ja alli tem 7 peças de artilheria. Na mesma villa se trabalha muito na construcção e concerto de armamento, e o Francez que dirigia os fundições vai melhor do ferimento que soffreo. O cabecilha Fuertes occupava a villa de Chelva (9 leguas ao N. O. de Valencia) com uns 300 infantes, e 40 cavallos. (La Ley)

Idem. - Cabrera mandou dar salvas em Cantavieja, cantar un 'Te Deum', repicar os sinos (campanes) nos povos, e que houvessem corridas de Touros, em celebração das ultimas victorias ganhadas por Quilez.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.111, p.1909. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Agost, 10. Una carta que arriba a l'Ecco via anglesa:

<<O ECCO, N.º 114. Quinta feira, 1º de Setembro. 1836.

NOTICIAS DO PAQUETE INGLEZ. [...] Neste instante recebi por copia a seguinte interessante carta de Saragoça, datada de 10: - "Cabrera e Quilez, depois de terem percorrido em todas as direcções os Reinos de Murcia e Valencia, sendo em toda a parte recebidos com o maior enthusiasmo, regressàrão a Caspe, depois de passar por Cantavieja. Trouxerão 15 carros carregados de dinheiro, tomando ao inimigo em varios encontros, ou apanhando nas cazas dos recebedores publicos. Toda esta somma foi depositada em Cantavieja, cujo lugar e Aliga (Aliaga) são os pontos mais fortificados dos Carlistas. [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.114, p.1955. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Agost, 28. Una carta que parla de Benicarló:

<<O ECCO, N.º 118. Quinta feira, 15 de Setembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Idem 9. - Valencia. - Cabrera, e segundo alguns tambem Quilez, estavão a 28 do passado em Batea, preparandose o primeiro a marchar sobre S. Matheo (Sant Mateu), no Norte da provincia. Os facciosos commandados pelo Arcipreste de Moya, e o Coronel D. José Moran, que se achava desterrado em Utiel (na provincia de Cuenca), entrárão nesta villa na manhã de 31 de Agosto, saindo, depois de commetterem excessos nas casas dos christinos.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.118, p.2023. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Agost, 28. Li fan cantar el "Trágala" a Mina, que recordem que era un dels implicats en ordenar l'afusellament de la mare de Cabrera. Sembla que era una cant a favor de la Constitució de 1812.

<<O ECCO, N.º 122. Quinta feira, 28 de Setembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES FRANCEZES. [...] Em Barcelona, Mina foi forçado a saír da cama para ir prestar juramento á Constituçao. Dous dias depois alguns soldados o obrigarão a tocar o copo com o delles n'uma taverna e a cantar o 'Tragala'. Elle pela sua parte fes prender e levar para um Navio uns 30 Carlistas das primeiras familias. Muitos Officiales superiores, e entre outros o General Aldama, forão destituidos dos seus commandos. Muitos Officiaes de fileira retirão-se, e tudo marcha para a mais horrorosa a anarchia. (G. de France.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.122, p.2085. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Setembre. Urcelay ens fa una cronologia de les guerres carlines:

<<Septiembre.- Cabrera participa en la expedición del general Gómez por tierras de Castilla, Andalucía y Extremadura. En su ausencia, Cantavieja cae en manos de los liberales al mando del general San Miguel. Espartero sustituye a Fernández de Córdoba al frente del ejército isabelino del Norte.>> (pàg.22)

[URCELAY ALONSO, Javier (2004): El Maestrazgo Carlista. Una visita a los escenarios y lugares de las Guerras Carlistas del siglo XIX. Editorial Antinea. 3ª Edición. Vinaròs.]


 1836

Setembre, 7. Una carta que parla de Benicarló:

<<O ECCO, N.º 118. Quinta feira, 15 de Setembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Idem 7. - Valencia. - Serrador, com 2$ (2.000) homens, ameaça a villa de Benicarló, na costa; cuidando ao mesmo tempo de attrair a si, e recrutar os soleiros. Em quanto a Cabrera e Forcadell, consta que marchárão para o interior do Aragão. [...]>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.118, p.2021. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Setembre, 13. Una carta on es parla d'Adzeneta, Benassal i Llucena. En el mateix número també es parla del 'cabecilha Esperanza' que va entrar a Soneja el dia 18.

<<O ECCO, N.º 124. Quinta feira, 6 de Outubro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Madrid 28 de Setembro. - Valencia 22. - Entrou em Adzaneta, ao Norte desta provincia, uma facção, commandada por um Coronel Navarro, chamado Azepeitia, o qual, achando-se em Benasal, intimou á villa de Lucena, que se rendesse.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.124, p.2117. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Setembre, 19. Moviments per València i Baix Aragó:

<<Nº.119 VENEZIA, MARTEDI 4 OTTOBRE 1836.

SPAGNA. [...] Il giorno 19 sett., il quartiere generale di Don Carlos tenevasi ancora ad Estella [...] La città di Requegna (Requena), occupata ultimamente dalle forze unite comandate da Gomez conta 12 mila habitanti e si trova sulla strada maestra da Madrid a Valenza, a 16 leghe da quest' ultima città. Requegna è distante 7 leghe circa da Chelva, fortezza di Quilez, a 25 da Cantavieja, piazza d'armi, deposito e fortezza di Cabrera. Si crede che al giorno d'oggi Valenza è in potere de' carlisti.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


<<Nº.121 VENEZIA, SABBATO 8 OTTOBRE 1836.

SPAGNA. [...] I giornali di Madrid ricevuti a parigi nel 30 sett. vanno sino alla data del 24 di sett. Un upplimento alla 'Gaceta' del 22 contiene il ragguaglio cristino della fazione di Villarrobledo alla quale presero parte Gomez, Cabrera, Serrador, Quilez ed altri capi, ed in cui, secondo il ragguaglio stesso, i carlisti fecero prova di molto valore, tuttochè loro sia poi toccato lo svantaggio. I prigionieri che i cristini dicono di aver fatti in quella giornata sono 1,274, fra cui 55 ufficiali.

La colonne carliste valenzane ed aragonesi non hanno tutte preso parte al combattimento di Villarrobledo. un grosso corpo è rimasto sotto Chelva e Cantavieja, ove si attende a compierne l'allestimento. Il deposito generale di Cantavieja è fornito di una quantità ragguardevole di materiale di guerra: trenta sono i cannoni che già vi furono gittati.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Setembre, 20. Una nota sobre Rubielos de Mora.

<<Nº.122 VENEZIA, MARTEDI 11 OTTOBRE 1836.

SPAGNA. [...] Alaix si applaude di aver reso un grande servizio allo stato, obligando Gomez a sgombrare la provincia di Madrid, il quale giusta il suo ragguaglio, savebbesi riparato co' suoi ad Uriel (Utiel) e Ruvielos de Mora (Rubielos de Mora), vale a dire, verso le montagne d'Alcaraz sulla frontiera della Mancia (Mancha) e del regno di Murcia. [i continua...]>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Setembre, 22. Una carta en la que els cristins no veuen massa clar aquell moment.

<<O ECCO, N.º 121. Terça feira, 27 de Setembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Valencia 13. - Correndo a borrasca nesta provincia em arvore seca, vemos augmentar-se a força inimiga, occupar povoações, e desolar o paiz. A reunião de forças fará talvez com que os facciosos empreendão alguma operação mais em grande, relativamente ás que atéqui tem feito; "as vozes vagas que correm não nos são mui lissongeiras", porem temos a desgraça de que as authoridades se calão, em quanto vão tendo seu resultado as noticias, que maliciosamente se fazem circular, "Prevemos algum successo desgraçado", isto é, que um tal silencio provenha de algum contratempo havido, aliás as authoridades terião fallado com mais franqueza, e publicado as partes recebidas: seja o que for, todos se queixão, por não se saber como estamos, bem o mal.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.121, p.2070. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Setembre, 23. Informacions sobre una possible proclamació de la república en València, que no poden confirmar:

<<Nº.118 VENEZIA, SABBATO 1 OTTOBRE 1836.

SPAGNA. [...] La lettere de' Pirenei annunziano oggi che la repubblica è stata proclamata in Valenza. (A credere una voce corsa la sera del 23 a marsiglia il 'Balear' arrivato allora appunto, probabilmente da Barcellona, aveva recata la notizia dell' entrata de' carlisti in Valenza stessa). (Notizie che non si confermarono. V. più sotto.) [...]

La nuova della proclamazione della repubblica a Valenza od a Tortosa, non si conferma. Parimenti non è confermata la voce dell' occupazione di Valenza dai carlisti, corsa a marsiglia il 23 dopo l'arrivo del 'Balear'. Un simile rumore si sparse pure, giunta la 'Revista' del 17, ad Alicante subito dopo l'arrivo dell' Oceano da Valenza.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Setembre, 24. Una carta des de Cantavella en la que s'anuncia la publicació imminent d'un diari carlí!! I sí, s'acabar editant, com trobem en la següent informació del dia 28, com a "Boletín del Real Ejército de Aragón". (es podrà consultar en algun arxiu??)

<<O ECCO, N.º 126. Quinta feira, 13 de Outubro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Idem. - Parece que os facciosos vão tomando o gosto aos boletins, visto que chegou hoje por casualidade ás nossas mãos uma carta datada de Cantavieja em 24 do corriente, na qual se annuncia que duas vezes na semana sairá naquella praça o "Boletim Official do Exercito (Carlista) do Aragão". Se o ultimo General em chefe do exercito do centro não tivese dado lugar a que os rebeldes se fortificassem em Cantavieja, pão terião elles vagar agora para escrever boletins. (Patriota.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.126, p.2147. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Setembre, 28. És d'aquesta data el nº 12 del "Boletín del Real Ejército (Carlista) del Reino de Aragón", editat, com hem vist en la notícia anterior, a Cantavella. Recull un extracte l'Ecco, sembla que via la "Revista Nacional".

<<O ECCO, N.º 127. Terça feira, 18 de Outubro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Extracto do Nº. 12 do Boletim do Real Exercito (Carlista) do Reino de Aragão, de 28 de Setembro. - D. Rafael Maroto, nomeado Capitão General da Catalunha, por El Rei N. S. chegou ao seu destíno, acompanhado de varios Coroneis e Officiaes procedentes da Navarra. Tomou o commando superior dos 49 batalhões, que mandavão differentes chefes independentemente. Só se necessitava naquelle leal Principado um General Superior, que dirigisse as operações militares; felizmente ja chegou, e de pouco tempo a esta parte se tem dado muita importancia ás armas realistas daquelle Principado. - Diariamente vao desertando de Teruel muitos solados da guarnição; assim o referem 3 artilheiros, que sairão na noute de 20, e chegarão aqui (Cantavieja) a 25 sem novidade. Os mesmos asseguram que ha 8 ou 10 dias desertárão do arrabal do mais de 200 soldados do Regimento de Almansa, e consta que se incorporarão na Divisão do Snr. General Gomez. Hontem de tarde se apresentárão nesta praça 11 individuos procedentes de Carinhena (Cariñena), pela maior parte armados. Manifestão os muitos excessos que cometem os infames nacionaes e peseteros daquelle districto, e que a ninguem deixão estar tranquillo no seio de suas familias. (Rev. Nac.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.127, p.2166. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Setembre, 28. Una carta des de Castelló sobre les dificultats de reclutar i recaudar:

<<O ECCO, N.º 126. Quinta feira, 13 de Outubro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Reino de Valencia. - Escrevem de Castellón de la Plana em 28: - Aqui se experimentão muitas difficultades para realizar o recrutamento e o emprestimo de 200 milhões: a deputação provincial está fazendo todo o genero de esforços para aplanar estas difficultades, mas não é possivel vence-las e á vista disto suppomos, que terá recorrido do governo, propondo as medidas, que em seu conceito é indispensavel que se adoptem nesta provincia. (Espanhol.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.126, p.2151. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Octubre. Francisco Segarra fa un resum dels regiments d'infanteria i on van actuar:

<<El Regimiento de Infantería de Línea Córdoba nº 10 como Guarnición de Morella en octubre de 1836; y en las acciones de Albocàsser el 4 de septiembre de 1837; en Catí el 25 de octubre de 1837; en Villar de Canes el 26 de octubre de 1837, y en el sitio, asalto y retirada de Morella el 15 de agosto de 1838.>> (pàg.277)

[SEGARRA CAPSIR, Francisco (2016): Todas las guerras sufridas en el Maestrazgo histórico. Editorial Antinea. Vinaròs.]


 1836

Octubre, 2?. Sobre el setge a Cantavella. Sembla que acaba sent ocupada per San Miguel el 31 d'octubre (veure més avall).

<<Nº.127 VENEZIA, SABBATO 22 OTTOBRE 1836.

SPAGNA. Scrivono da Madrid in data del 2 ottobre [...] Si annunzia che il generale San Miguel ha posto l'assedio a Cantavieja, piazza forte di Cabrera: il presidio era risoluto a vigorosa difesa.>>

<<Nº.129 VENEZIA, GIOVEDI 27 OTTOBRE 1836.

SPAGNA. [...] Cabrera, Quilez e il Serrador, i quali hanno lasciato Gomez a Utiel, si trovano nelle vicinanze di Cantavieja, alla testa di 20,000 combattenti, ed in grado di resistere a qualunque tentativo di Evaristo San Miguel su quella piazza d'armi.>>

<<Nº.130 VENEZIA, SABBATO 29 OTTOBRE 1836.

SPAGNA. [...] Si dice in alcune società che il governatore politico di Cordova, Pastor, è stato posto in liberta da Gomez, col patto che si recasse dal brigadiere Alaix per trattar seco del cambio de prigionieri. Gia il colonnello Alesson, prigioniero di Gomez, è qui arrivato da Cantavieja. Un ufficiale supperiore carlista aveva accompagnato sino a Cuenca questo parlamentario incaricato di trattare anch' esso del medesimo cambio. ma il governo avendo risposto alle sue offerte col più pieno rifiuto, il colonnello prigione ritornò a Cantavieja.>>

<<Nº.133 VENEZIA, SABBATO 5 NOVEMBRE 1836.

SPAGNA. [...] Si crede che Cabrera, separatosi da Gomez nelle vicinanze di Lucena [la de Còrdova], abbia ripresa la strada della Valenza, traendo seco una parte delle reclute e dei prigionieri fatti nell'Andalusia. Cabrera giungerà probabilmente a tempo per impedire l'assedio che San Miguel è in procinto di mettere a Cantavieja.>>

<<Nº.137 VENEZIA, MARTEDI 15 NOVEMBRE 1836.

SPAGNA. [...] Evaristo San Miguel, il quale avea preparato durante un mese una spedizione contro Cantavieja e che si apprestava ad assediarla, è stato battuto delle truppe di Cabrera. Don Evaristo tornò quindi nel più gran disordine a Saragossa. [...]

Il generale carlista Nogueras, governatore di Cantavieja, volendo per amore dell' umanità, rendere meno crudele la guerra, aveva fatto proporre al generale Evaristo San Miguel capitan generale dell' Aragona (Aragó) come nella navarra e provincie basche: il generale cristino rispose che il trattato non poteva applicarsi all Aragona ove la guerra non procede così regolarmente come nel settentrione; che ne avrebbe riferito al governo, ma che intanto non poteva discostarsi dalle istruzioni ricevute.

Si conferma la ritirata di San Migual da sotto Cantavieja. (F. F. e P.)>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Octubre, 3. Sobre el que diuen en Benicarló sobre el ramat i el gra que tenen els carlins de Cantavella:

<<O ECCO, N.º 129. Terça feira, 25 de Outubro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Valencia. - Dizem de Benicarló, em 3, que os Carlistas terão em Cantavieja mais de 36$ (36.000) fangas de grão, e mais de 14$ (14.000) cabeças de gado.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.129, p.2197. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Octubre, 9. Carta des de Castelló:

<<O ECCO, N.º 128. Sabbado, 22 de Outubro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Valencia. - Castellon de la Plana 9. - Já estão outra vez abandonadas estas commarcas á mercê das facções. E não nos accuzem de que o digamos debaixo da idea de avizar os carlistas, por que para elles nem para nós não é segredo, e para quem parece que o seja, é somente para aquelle que nos expõe a novos lamentos, e para o Governo que o não remedeia de um modo efficaz e prompto.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.128, p.2182. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Octubre, 17. Més informació:

<<O ECCO, N.º 134. Quinta feira, 10 de Novembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Reino de Valencia. - Dizem de Peniscola em 17 que o frade Esperança se dirigio com 900 homens sobre Cantavieja, para onde tam bem marchárão 700 infantes e 60 cavallos da columna de 1.800 dos primeiros e 80 dos segundos do commando de D. Domingos Forcadel, ficando este em Albocacer com vistas talvez sobre o comboi que está para sair de Vinaroz. "Este cabecilha, diz a carta, filho de uma casa vinculada de Ulldecona, é dos menos odiados do paiz, pois não se tem feito mui notavel por suas atrocidades". Os rebeldes tem em quasi todos os povos das immediações de Morella, S. Matheus (Sant Mateu) &, governadores militares, que com 8 ou 10 homens ás suas ordens, cobrão as contribuções, dizimos &. - Em data de 20 dizem que o General S. Miguel, com 6 batalhões e 11 boas de fogo, chegou a S. Matheus, onde se prepara para sitiar Cantavieja, em cuja villa fortificada tem os carlistas uma guarnição de 500 homens, commandado pelo Coronel Arévalo, Chefe d'Estado Maior de Cabrera, e Official segundo dizem, de conhecimentos, porem é provavel que a mesma guarnição seja augmentada, assim como o tem sido as obras da fortificação, tendo os carlistas muita confiança n'uma torre artilhada. O correspondente expressa depois os seus receios no caso de se retardar a empreza, porque então subrviráõ os frios, e talvez forças facciosas sitiarão o sitiadores nos seus mesmos acampamentos, concluindo que acabava de saber que S. Miguel ainda esta va em Castellon, e se fallava de uma conspiração em Morella para entregar a praça aos Carlistas.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.134, p.2285. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Octubre, 19. Un missatge que arriba de Castelló:

<<O ECCO, N.º 134. Quinta feira, 10 de Novembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Valencia. - Castellon 19. - Estamos rodeados de partidas de 6 e 7 homens, que incommodão os povos, tirando cavallos e quando lhes vem á mão. O recrutamento ultimamente decretado é uma das causas que augmentão este damno.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.134, p.2286. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Octubre, 28. Un missatge que arriba de València:

<<O ECCO, N.º 137. Terça feira, 22 de Novembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Valencia 4. - A columna carlista do commando de Royo de Nogueruelas passou a 28 do passado de Cinares (Linares de Mora) a Vistabella, afim de fazer a sua junção com a de Forcadell. - Antonio Sorolla, Governador Militar da villa fortificada de Benasal por Carlos 5º, estava no mesmo día em Puerto-Mingallo (Puertomingalvo) com uns 30 facciosos.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.137, p.2336. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


1836

Octubre, 30. En una web sobre efemèrides turolenques, ens diu:

<<30 de octubre. 1836.- El general San Miguel se apodera de Cantavieja [també diu que va ser el dia següent]. En este mismo día, "Royo de Nogueruelas" fusila en Albentosa a 77 hombres de la guarnición de Arcos.>>

[ESTEBAN, Mariano J. (2016): 30 de octubre. Efemérides Turolenses.] efemeridesteruel.blogspot.com.es


 1836

Octubre, 31. Un altre missatge que arriba de València que complementa el anterior. Cantavella sembla que estava sitiada. Al mateix diari, una mica més avall, es parla també de Monroig, Tivisa, Garcia i Falset, que de moment no transcribim per centrar-nos en les accions més properes. Curiosament, aquesta carta des de Valencia que transcribim, es torna a publicar, segurament per error, en el número següent (139, pàg. 2349). El cas es que hi ha dos publicacions diferens amb en nº 139 amb la mateixa data.

<<O ECCO, N.º 138. Quinta feira, 24 de Novembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Valencia 7. - A facção do Alcalde de Mirabete (Miravete de la Sierra) achava-se no dia 31 em Puerto Mingalvo, e as de Mestre, Morella, e Sorolla, passárão no dia 30 pelo districto de Cortes de Arenoso, indo em seu regimiento os Nacionales de Castillo. - Idem 8. - Á noute se soube que Forcadell tinha marchado de Forcall a Zurita (Sorita), e que esta manhã chegou um grande grupo da sua gente a Pañarroya (Pena-roja). Todos estes movimentos indicão que a sua direcção é para Cenia (la Sénia), Rossell e outros pontos do Mestrado, o que lhes será facil, por não haver quem se lhe opponha, em consequencia de ter marchado para o sitio de Cantavieja a brigada que cobria aquelle territorio.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.138, p.2349. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Octubre, 31. Una mica més amunt ja es parla del setge a Cantavella. Acaba sent ocupada.

<<Nº.138 VENEZIA, GIOVEDI 17 NOVEMBRE 1836.

SPAGNA. [...] Un dispaccio di Baiona annunzia che la piazza d'armi di Cabrera, Cantavieja, è stata occupata il 31 di ottobre dalle truppe di Evaristo San Miguel: la piazza era stata, così il dispaccio, sgombrata dal presidio. Quest' occupazione è revocata in dubbio da alcuni pubblici fogli della frontiera, ai quali essa sembrerebbe tanto più improbabile in quanto che avevasi avuta poe' anzi la notizia positiva che lo stesso Evaristo San Miguel era stato battuto e volto in fuga.>>

<<Nº.139 VENEZIA, SABBATO 19 NOVEMBRE 1836.

SPAGNA. [...] --- L'occupazione di Cantavieja dai cristini è confermata: la piazza venne sgombrata el 31 di ottobre, allorquando la batteria principale cristina cominciò il fuoco: 800 o 900 soldati di Lopez, Lopez medesimo, e 40 o 50 ufficiali che erano in carcere a Cantavieja, vennero così liberati.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


En una web sobre efemèrides turolenques, també ho diu:

<<31 de octubre. 1836.- Después de varios días de hostilidades, las fuerzas del general San Miguel toman Cantavieja, cuartel general del carlista Cabrera, pero unos meses después los facciosos recuperan la fortificación..>>

[ESTEBAN, Mariano J. (2016): 31 de octubre. Efemérides Turolenses.] efemeridesteruel.blogspot.com.es


 1836

Novembre, 5. Sobre Cantavella:

<<O ECCO, N.º 136. Sabbado, 19 de Novembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Idem 8. - Çaragoça 5. - Os facciosos estavão tão resolvidos a abandonar Cantavieja, que desde setembro valia a fatiga de trigo 4 reales, obrigando os povos comarçaõs a que se fossem fornecer alí. (Rev. Nac.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.136, p.2317. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Novembre, 7. Més notícies sobre Miravete de la Sierra:

<<O ECCO, N.º 145. Terça feira, 20 de Dezembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Idem. - Saragoça 20. - O Brigadeiro Nogueras officia em 7 ao Capitão General do Aragão que alcançára no districto de Miravete a facção de Cabrera, Serrador, Orejita e Jara, em numero de mais de 1$ (1.000) homens, quasi todos de cavallaria, fazendo-lhe bastantes mortos, 24 prisioneiros, e consta de 100 muares e cavallos.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.145, p.2463. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Novembre, 10. Pena de "garrote vil" en algun lloc de València (no ho especifica):

<<O ECCO, N.º 140. Quinta feira, 1 de Dezembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. Madrid 16 de Novembro. - Escrevem de Valencia em 10 do corrente: - Esta manhã soffrerão a pena de morte em garrote vil, imposta pela audiencia deste Reino, Antonio Martinez y Beltrá, Miguel Rico (el Coracero), Tomás Ayela de Mara, e Antonio Canales (el Arpero), "por conspiradores" contra o legitimo governo (! ! !).>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.140, p.2379. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Novembre, 10. Notícies del Baix Aragó:

<<O ECCO, N.º 142. Sabbado, 10 de Dezembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA.[...] - Baixo Aragão. - Na manhã de 10 marchou de Fortanete para Valdelinares o famoso Coronel Carlista Arevalo com os dous batalhões commandados por Llangostera (Llagostera), mandando logo um espia a Teruel para o informar do movimiento que projectava fazer a Divisão de Nogueras.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.142, p.2411. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Novembre, 12. Notícies des de Castelló:

<<O ECCO, N.º 140. Quinta feira, 1 de Dezembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Idem. - Valencia. - Dizem de Castellon em 12: Hontem de tarde entrou nesta a Divisão Grases, sem que se possa adivinhar o motivo da sua retirada, e permanencia. Hoje sucedeo o mesmo com a Divisão Belga do Commando de Borzo (Borso), guardando a artilheria e bagagens de regresso do Sitio de Cantavieja.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.140, p.2381. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Novembre, 14. Notícies sobre Rubielos i Vistabella. També es diu que han aconseguit fer fora als carlins de Cantavella.

<<O ECCO, N.º 141. Terça feira, 6 de Dezembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Valencia 19. - o facciosos Royo de Nogueruelas estava no dia 15 em Rubielos com 600 Infantes e 100 cavallos. No dia 14 entrou em Vistabella uma facção composta de uns 800 homens, que se suppoem pertencerem á de Forcadell. - Honem descobrio-se nesta cidade (Valencia) uma consipração a favor de Carlos V. Fizerão-se algumas prisões, e entre os presos, um Official de L'orca (Lorca?), que estava de guarda ao hospital. - Em consequencia das ultimas participações recebidas sáem daqui hoje os Portuguezes, mandando-se ordem á Divisão Grases, para cobrir a Ribeira, porque Cabrera entrou no dia 13 em Albacete (Reino de Murcia) onde surpreendeo 20 cavallos de Nacionaes, e tendo dividido as suas forças no dia 14, teme-se que uma fracção venha para aqui. A diligencia que hontem devia chegar ainda não veio, tendo corrido rumores os mais funestos.[...]

- Castellon de la Plana 14. - A pezar da tomada de Cantavieja todo este paiz continua infestado e devastado por pequenas facções, que imterceptão todas as comunicações interiores. Dizem que a facção de Tallada se reunió á de Forcadell, que com uns 2,300 homens esteve no dia 11 do corrente em Calig ameaçando Benicarló, e seguio depois para Cervera na montanha.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.141, p.2395. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Novembre, 16 aprox. Sobre els carlins després de ser ocupada Cantavella.

<<Nº.149 VENEZIA, MARTEDI 13 DICIEMBRE 1836.

SPAGNA. [...] Narvaes occupava Montilla il 16. [...] Dopo la presa di Cantavieja, i faziosi non si disperdettero, come si credeva: le bande che errano tuttavia attorno a Mosquerela (Mosqueruela) ed al porto di Mongalvo (Puertomingalvo) sono sì numerose che le guardie mobili stanziate nel castello di Villamucefo (Castillo de Villamalefa) non ardiscono uscire. Noguerruelas, con 800 uomini, occupa Rubielos, ove non è inquietato.>>

[IL NUOVO OSSERVATORE VENEZIANO (1835-1837). Compilato da Lorenzo Fracasso Estensore. Stampadore, Fondamenta Malvasia Vecchia, S. Maurizio N. 2279.] Vol.2: books.google.es


 1836

Novembre, 23. Notícies sobre Sant Mateu i Xert:

<<O ECCO, N.º 143. Terça feira, 13 de Dezembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Idem. - Reino de Valencia. - O Brigadeiro Borso di Carminati participa de S. Matheo em 23, que encontrara em Chert o inimigo em força de 4$ (4.000) homens de infanteria e cavallaria, pois que se acha vão reunidos os cabecilhas Llagostera, Forcadell, Tallada, Andreu e outros, com os quaes sustentou um vivo fogo desde as 3 até ás 6 horas da tarde, sendo finalmente o inimigo obrigado a retirar-se ás montanhas com consideravel perda, e sendo a delle (Carminati) 11 mortos e uns 30 feridos (Ref. Nac.)>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Calçada de Santa Ana, nº. 110. Lisboa, Vol.3, Nº.143, p.2429. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Novembre, 29-30. Afusellaments de carlistes en Morella:

<<EL GUARDIA NACIONAL, N.º 2508. MARTES 13 DE DICIEMBRE DE 1836. (Pág.2)

NOTICIAS NACIONALES. [...] Morella 10 de diciembre. En virtud de fallo pronunciado por el brigadier D. Cayetano Borso de Carminati, en vista de la resultancia que ofrecía la causa de conspiración de esta villa, han sido fusilados en la tarde de ayer y hoy las personas que contiene la adjunta nota.

En el día 29 de este mes:

Mosen Manuel Domenech, presbítero.

D. Manuel Conesa, administrador del conde de Creixell.

Salvador Llopis (a) "Cabres", cirujano.

Ramon Guimerá (a) "Tarrutaco", pelaire.

Juan Ferreres, carpintero.

José Marti (a) "Conesa", pelaire.

Manuel Segura, masovero de la Mola, de este término.

Pascual Vallés, secretario de Castellfort.

José Vallés, hijo del anterior.

Pedro Guardiola, faccioso aprendido con las armas en la mano.

Ramon Folch, idem.

En el día 30:

D. Juan María de Lizana, capitán de artillería.

D. Antono Espín, capitán del provincial de León.

D. José Meléndez, teniente del provincial de León.

D. Francisco Argüello, subteniente del provincial de León.

José Aragües, sargenteo 2º del provincial de León.

Juan Bonello, soldado del provincial de León.

Pedro Bernavé, soldado del provincial de León.

José Antonio Pérez, soldado del provincial de León.

Josefa Molmoneu, consorte de D. Manuel Conesa.>>

EL GUARDIA NACIONAL, Eco del a razón. Calle Ancha, esquina a Escudellers núm.48. Barcelona. Año 2º, Nº374, p.2508. hemerotecadigital.bne.es (pdf)


Aquests afusellaments son el resultat del que ens diu Urcelay i que llegeix en Ortí Miralles:

<<Fracasada la anterior intentona, los carlistas siguieron empeñados en su intento. En el otoño de ese mismo año fue descubierta una conspiración para proclamar a Carlos V en el castillo al día siguiente y rendir la plaza a los carlistas. El plan fue conocido por el teniente Miguel Orozco, quien lo puso en conocimiento del gobernador D. Fernando Alcocer. Dos o tres oficiales y 80 soldados de Lorca estaban en el complot. El sigilo con el que se movió el Gobernador hizo que los conspiradores no supieran que su plan era conocido, tomando por salvas los cañonazos que el gobernador les hizo disparar y acudiendo al lugar concertado. Los soldados liberales cargaron entonces sobre aquellas masas descuidadas, que corrieron desbaratadamente. Los implicados fueron arrestados, Alcocer declaró el estado de sitio, nombró un fiscal y, tras el juicio sumarísimo, fusiló junto a las tapias del cementerio a los implicados. [Aquest cementiri estaba on ara està el pavelló poliesportiu]>> (pàg.223)

[URCELAY ALONSO, Javier (2004): El Maestrazgo Carlista. Una visita a los escenarios y lugares de las Guerras Carlistas del siglo XIX. Editorial Antinea. 3ª Edición. Vinaròs.]


 1836

Desembre, 3. Més informacions des de València. Al mateix diari també diu que Llagostera estava per Samper de Calanda i Chiprana (prov. de Zaragoza):

<<O ECCO, N.º 146. Sexta feira, 23 de Dezembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Reino de Valencia. - O Governador de Alcañiz, refirindo-se a uma parte do Brigadeiro Borso di Carminati, diz que éste, a um reconhecimento que effeituou no dia 3 do corrente sobre o forte de Beceite, Fabrica fortificada e as duas linhas que unem estes dous pontos, depois de um fogo que sustentou contra os inimigos entrincheirados nas suas posições, e depois de feito o reconhecimento, fez a sua retirada só com a perda de 40 homens fóra de combate, constituindo a do inimigo em mais de 100 e alguns officiáes, 3 dos quaes forão mortos a bayonetadas pela retaguarda (Como é possivel acreditar-se que um inimigo a coberto e entrincheirado tivesse maoir perda do que o agresor a peito descoberto?)

- Vinaroz 5. - Neste momento nos dizem que Forcadell com uns 2$ (2.000) homens se acha em Cati, e o antigo Coronel Arévalo, Chefe que foi do Estado Maior de Cabrera, em Salsadella com outras facções reunidas, que montão a uns 2$ homens. Temivel deve ser esta facção, porque o Sr. Grases se dirigio, segundo dizem, de Cabanes para Alcira, e ja se póde ver como vão progredindo as facções nesta provincia.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Rua do Socorro de Cima, Nº. 39. Lisboa, Vol.3, Nº.146, p.2478. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Desembre, 5. Informacions des de València:

<<O ECCO, N.º 149. Terça feira, 3 de Janeiro. 1837.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Valencia 19. - O Governador militar de S. Matheus (Sant Mateu) diz em 5: - Acabo de saber agora, 2 da tarde, que Serrador se achava hontem em Albocacer com uns 400 cavallos entre bons e máos, com o objecto de fazer uma incursão na Plana: que o cabecilha Forcadell se achava em Chert, e Tallada em la Jana. - Idem 20. - Pelo Commandante militar de Segorbe se sabe que Royo de Nogueruelas está reunindo á sua facção no povo de Rubielos (Baixo Aragão) os dispersos de Serrador, contando ja entre todos 800 infantes e 400 cavallos. Tambem se sabe, pela mesma via, que na noute de 16 passárão junto a Gérica (Jérica) 15 dispersos, que matárão um pastor.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Rua do Socorro de Cima, Nº. 39, 1º andar. Lisboa, Vol.3, Nº.149, p.2525. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Desembre, 9. Informacions des de Castelló:

<<O ECCO, N.º 148. Quinta feira, 29 de Dezembro. 1836.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Castellon de la Plana. - Pouco temos adiantado neste paiz com a tomada de Cantavieja, porque os facciosos pululão por todas as partes, e cada semana nos achamos com nomes de cabecilhas novos, e não ha muito que saírão a figurar Llorach, Llangostera e Arévalo. Agora dizem-nos que o cabecilha Ombria, com 300 infantes e 30 cavallos, tinha ante-hontem posto bloqueo á villa de S. Matheus (Sant Mateu). No dia 9 achava-se Serrador em Villafranca del Cid (Reino de Valencia) com uns 200 cavallos, mui estropeados, procedentes de Valdelinares, no Baixo Aragão (Mais derrotados de Cabrera que vão chegando). Forcadell (chefe carlista), com 2 batalhões e 30 cavallos, pernoutou, no dia 10, em Traiquera (Traiguera) (2 leguas ao N. de S. Matheus, no Reino de Valencia, e fronteiras da Catalunha). Hontem entrou nesta cidade a columna do Brigadeiro Borso, e talvez sairá para S. Matheus (Sant Mateu). Diz-se que ha ordem para ser preso o Coronel Martí, Governador de Peniscola, cuja noticia causou muita surpresa, pois Martí é pessoa mui conhecida no paiz, gozando da opinião de mui liberal, e de militar pundonoroso.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Rua do Socorro de Cima, Nº. 39, 1º andar. Lisboa, Vol.3, Nº.148, p.2508. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Desembre, 15. Sobre una circular feta pels carlins, per compensar una del bàndol contrari. Això és el que diu el comandant,  Benito Catalán, "el Royo de Nogueruelas". A continuació, al mateix diari es parla de la mort de Mina i es fa un bon llistat de les barbaritats que va fer en la seua vida (pàg.2544).

<<O ECCO, N.º 150. Sabbado, 7 de Janeiro. 1837.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Documentos Carlistas. - Exercito Real do Aragão. - 4º batalhão. - Circular ás Justiças notadas á margem. - Faço saber, que hoje chegou ás minhas mãos a circular inimiga, executada pelas mesmas Justiças, e expedida pelo rebelde Alcalde constitucional de Mora (Mora de Rubielos), pedindo fornecimentos semanaes. E não admittindo a minima desculpa a apatia, indifferença, e falta de cumprimento ás ordens que tenho dado, pelas quaes se achão incursos na pena ultima, que hoje principio a executar, os provino novamente e pela ultima vez, de que toda a pessoa de qualquier classe ou condição, que levar rações ou outro qualquier artigo aos Fortes rebeldes, incluindo lenha e outras cousas, assim como as Justiças que fizerem a remessa, serão passadas pelas armas, sem mais tempo de que e preciso para se confessarem; cuja sorte soffrem ja hoje dous Alcaldes, e continuarei atéque não fique um de quantos tem dado cumprimento á sua circular, e a outras que me reservo, protestando lhes executar os mais horrorosos castigos. Linares 15 de Dezembro de 1836. - O Commandante, Benito Catalan.

- Bando.

- Achando-se determinado por S. M. que todos os povos fortificados e guarnecidos por tropas do Exercito.. ¿da usurpadora?, se declarem em estado de bloqueo, e sendo um dos que se achão neste caso a villa de Cantavieja, ordeno o seguinte:

1º. As Camaras dos povos compreendidos no districto de Cantavieja, farão publicar no mesmo a referida Real Resolução de bloqueo.

2º. Os conductores de officios ou noticias por escripto ou de palavra, serão considerados como espias, e por consequencia immediatamente fusilados.

3º. Os que conduzirem viveres ao citado ponto, alem de os perderem todos e as cavalgaduras, sofreráõ fusilados.

4º. Será tambem declarado apreendido todo o gado (ramat), generos e effeitos, que se achem na direcção, ou no raio de duas leguas de Cantavieja, e até os proprios conductores de lenha... ¿? consumo daquelle povo se são compreendidos na anterior disposição.

5º. Os Commandantes militares e as Camaras serão responsaveis pela publicação, e estas, com suas vidas pelos conhocimentos que facilitem ao Governador rebelde, para entorpecer esta ordem, ou occasionar o mais leve estorvo á de S. M. e bandos do Commandante General, de que este é um extracto. Fortanete 15 de Dzembro de 1836. - O Coronel Chefe de Estado mãior, D. José Maria de Arévalo. - E para que chegue ao conhecimento de todos, e não se possa allegar ignorancia, se publíca e affixa nos lugares publicos do costume. - O Governador Militar Thomas Gayoso. - Está conforme o original: - Ceballos.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Rua do Socorro de Cima, Nº. 39, 1º andar. Lisboa, Vol.3, Nº.150, pp.2543-2544. (9 volums, 488 diaris) Vol.3: babel.hathitrust.org


 1836

Desembre, 19. Durant aquella guerra va estar prop la independència del Regne d'Aragó:

<<O ECCO, N.º 154. Quinta feira, 19 de Janeiro. 1837.

NOTICIAS DOS JORNAES FRANCEZES. [...] Idem 30. - Fronteiras da Catalunha 19. - As Authoridades de Barcelona estão em apuro, porque existe uma federação entre os agitadores das 4 Provincias, Catalunha, Aragão, Valencia, e Ilhas Baleares, para proclamar a sua independencia, e formar uma republica federativa sob um Presidente. D'aqui provem que se augmenta a emigração, e que os Barcos de Vapor desembarcão todos os dias uma multidão de fugitivos. Todo aquelle que póde escapar á catastrofe que se prepara, e que tem alguns meios e subsístencia, seja Carlista ou Christino, vem para França, ou retira-se para Inglaterra ou Italia. As tropas Carlistas tem recebido ordem de se approximarem tanto como lhes seja possivel das fronteiras do Aragão, o que tem feito dizer aos Generaes Christinos, que não encontrão inimigos, porque receosos se affastão. Com tudo Gurrea e Aspiroz, que reunidos formão um corpo de 4$ (4.000) homens, não se atrevem a penetrar no campo de Tarragona ou nas montanhas de Cardona, onde sabem que fluctua geralmente o estandarte de Carlos V.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Rua do Socorro de Cima, Nº. 39, 1º andar. Lisboa, Vol.4, Nº.154, pp.2605-2606. (9 volums, 488 diaris) Vol.4: babel.hathitrust.org


 1836

Desembre, 27. Notícies des de Peníscola i Vinaròs:

<<O ECCO, N.º 151. Terça feira, 10 de Janeiro. 1837.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Valencia 27. - Recebeo-se o correio de Peniscola e Vinharoz (Vinaròs), e dizem que as facções cruzão por aquelle paiz, segundo teem de costume, e que Serrador ia engrossando a sua partida, que ja chega a 800 homens.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Rua do Socorro de Cima, Nº. 39, 1º andar. Lisboa, Vol.4, Nº.151, p.2558. (9 volums, 488 diaris) Vol.4: babel.hathitrust.org


 1836

Desembre, 28. Notícies que arriben de València:

<<O ECCO, N.º 152. Sabbado, 14 de Janeiro. 1837.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] Idem 4 de Janeiro. - Valencia 28. - Estão reunindo-se em Rubielos (Baixo Aragão) as facções de Royo de Nogueruelas, Frade Esperança, Serrador, e dispersos de Cabrera. O.. ¿Mestre? de Morella está em Alcandete (Alandete?) com a sua facção, que conta uns 400 homens.>>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Rua do Socorro de Cima, Nº. 39, 1º andar. Lisboa, Vol.4, Nº.152, p.2571. (9 volums, 488 diaris) Vol.4: babel.hathitrust.org


 1836

Desembre, 30. Més notícies que arriben de València i Benicarló:

<<O ECCO, N.º 155. Terça feira, 24 de Janeiro. 1837.

NOTICIAS DOS JORNAES DE HESPANHA. [...] - Aragão e Valencia. - Deve chamar a attenção do Capitão General do Aragão o augmento, que de poucos dias a esta parte vai tomando a facção daquelle Reino. - Hoje corre a voz de que a facção de Cabrera se achava na provincia de Cuenca, e que temerosa de ser atacada se tinha dividido em 2 columnas, dirigindo-se uma dellas ao baixo Aragão, e outra, composta de 300 infantes e 100 cavallos, á Mancha. - Escrevem de Vinaroz (ao Norte do Reino de Valencia) com data de 3 do corrente: - "Este paiz torna a experimentar os effeitos das incursões dos facciosos, dirigidas sempre a talar os campos, e dar fim ao pouco que possuem os proprietarios de uns povos já cansados de 3 annos de desgraças. No dia 30 entrou em Alcalá (Alcalà de Xivert) Serrador com uns 800 homens, chegando as suas avançadas até a Magdalena (Magdalena de Pulpis). Á tarde se dirigio para a parte de Benicarló (na beira mar), e deixando á direita a estrada da Catalunha, se encaminhou a Calig. No seu tranzito avançou até Benicarló uma porção de Lanceiros, por cujo motivo saírão alguns da guarnição, e os poserão em fuga, mas não se pôde evitar que levassem dous rebanhos, que havia naquelle termo. Diz-se que a columna de Borso devia chegar a Penhiscola (Peníscola), e que não o verificou por achar-se mui bem postado em Chert Forcadell (Chefe Carlista, que tinha ficado com o Commando das tropas do Aragão e Valencia, na auzencia de Cabrera): esperamos mais dados para dar credito a esta noticia, porque a julgo exaggerada. Aqui não se teme a facção, mas sím a misseria, que cada dia se augmenta em consequencia dos desastres da guerra. No dia 31, ás 9 da manhã, recebeo Serrador um officio, segundo dizem de Forcadell, para que contramarchasse immediatamente para Alcalá; e com effeito, sem comer, saírão ás 10 horas de Cálig com direcção áquelle ponto. No dia 2 entrou (o chefe carlista) Llagostera em Alcanar, Uldécona (Ulldecona) e Cálig, onde permanecia esta manhã, tendo ficado em Uldecona um batalhão, e mais tarde saírão todos os cabecilhas de Cálig para Alcalá. Os facciosos abandonárão Beceite, tendo antecedentemente destruido as fortificações, e trsladárão os seus doentes a Fredes. Em Rosell tambem tem muitos, e o mesmo em Boiga (el Boixar?). (Rev. Nac.) [...]

- Reino de Valencia. - Escrevem de Benicarló em 2: Ha mais de 3 annos que estamos com as armas na maõ sustentando o throno de Izabel e a causa da liberdade, sem que atégora tenhamos experimentado o menor alivio e descanso das nossas fadigas. Todos esperavamos com a maior anciedade a tomada de Cantavieja, julgando que então poderiaõ operar as nossas columnas om mais desembaraço; porem, desgraçadamente, vemos passear impunemente os inimigos por onde querem. No dia 29 entrou o cabecilha Lucas Domenech no povo de Traiguera com uns 1$ (1.000) homens; no mesmo dia, ás 2 da tarde, entrou Serrador em Alcalá de Chrisvert (Alcalà de Xivert), com uns 800 infantes e 120 cavallos, exigindo ás justiças 2$ (2.000) rações de todas as especies, e 3$ (3.000) reales (ou 120$ reis). No dia 30 se dirigio sobre esta villa, levando das suas immediações uma porção de gado, passando depois a Calix, e d'ali a Rosell. No dia 31, pouco depois de ter saido Serrador de Alcalá, entárão duas pequenas partidas, de uns 80 infantes e 15 cavallos cada uma, commandados por Bautista Marzal, e Manoel Altafulla, o primeiro procedente da facção de Forcadell, e o segundo da de Serrador. Estamos ja enfastiados, e só desejamos ver empregados todos os meios para terminar a guerra; o que V. V. tambem desejarião, se se vissem, como nós, isolados, sem sermos senhores de tranzitar por um terreno plano e estrada real para os povos de Vinharoz (Vinaròs) e Pinhiscola (Peníscola), sem que nos unamos alguns Nacionaes, para poder-se fazer a longa jornada de uma legua.

- Valencia 9. - Hontem fallou-se de ter occorrido um alarma na Plana de Castellon, e cujo resultado houve uma numerosa emigração naquelles povos. Segundo parece as facções de Serrador e Forcadell, em numero de 2$ (2.000) homens, entrárão em Nules e Villavieja (cousa de 7 leguas ao Norte da cidade de Valencia, nas praias de Mediterraneo), e tinhaõ pedido 4$ (4.000) rações em Almenara (a 5 leguas da mesma cidade.) Dizia-se que estava em Alcora a columna (Christina) de Grases.>>

I en una nota, afegeix que es pensaven que Cabrera havia mort. De fet, al llegir el diari, es veu que aquest mena d'informacions són habituals, i n'hi ha que s'han donat per morts tres o quatre vegades i sempre ressuciten:

<<Cabrera tinha sido dado morto n'uma chamada acção, que teve lugar no Aragão, quando elle retrocedia do Ebro. Bons dezejos tinhão os Christinos de verem livres de um chefe de tanto prestigio e influencia, mas ei-lo ressucitado. O Espanhol de 13, "fallando da necessidade de nomear quanto antes um General em Chefe para o Exercito do Centro, em attenção ao recente progresso da insurreição Carlista no Aragão, diz: - Sem esta falta Cabrera não teria existido ja a estas horas, o qual parece que restabelecido de suas feridas, volta a repetir suas antigas correrias." ->>

O ECCO. Jornal crítico, litterario e político. (1835-1840). Na typografia de A. I. S. de Bulhões. Rua do Socorro de Cima, Nº. 39, 1º andar. Lisboa, Vol.4, Nº.155, pp.2616-2617 i 2622-2623. (9 volums, 488 diaris) Vol.4: babel.hathitrust.org


  Primera Guerra Carlista o "guerra dels 7 anys"1833   1834   1835   1836   1837   1838   1839-1840
 

www.portell.tk  -  portellweb@yahoo.es

Recopilació bibliogràfica i transcripcions de Jacint Cerdà